Digital clock - DWR

sábado, 31 de agosto de 2013

Síria: Peritos da ONU estão sob rigoroso controle dos rebeldes diz Robert Kelly

Síria, peritos

A situação em torno do emprego de armas químicas na Síria continua um destaque a preocupar o mundo inteiro. O assunto foi discutido por peritos internacionais que participaram da ponte radiofônica, "Síria: não seria Obama um clone de Bush Junior?", transmitida em direto pela Voz da Rússia.


Nas palavras de Robert Kelly, antigo analista do Laboratório Nacional em Los Alamos, especialista em programas de armamentos nucleares, o grupo de peritos da ONU, encarregado de esclarecer detalhes do recente emprego de armas químicas na Síria, continua trabalhando sob um rigoroso controle dos rebeldes:
"Quando os inspetores estão postos do outro lado da verdade, já não sabem explicar o que vêem, pelo que a sua visão fica limitada pelo cenário muito bem preparado antes. Quando eles efetuam suas inspeções, passam logo a ser controlados por rebeldes que lhes indicam aonde ir, com quem falar e que provas recolher."
Outro participante da "ponte radiofônica", o antigo diplomata russo e presidente da Sociedade de Amizade e Colaboração com os Países Árabes, Vyacheslav Matuzov, qualificou de estranha e dúbia a situação com o emprego de armas químicas:
"A situação se mantém muito ambígua e peculiar. O grupo de peritos russos veio comprovar, por meio de imagens transmitidas do espaço, que os projéteis tinham sido lançados do território controlado por rebeldes. Daí a pergunta: por que é que peritos russos e norte-americanos não podem vir participar na reunião do Conselho de Segurança da ONU e comparar as imagens de Damasco feitas a partir do espaço?"
"Causa ainda muita surpresa a hora escolhida para o ataque", completou Chuck Cashman, do Instituto de Problemas Estatais junto da Universidade de Georgetown:
"Washington afirma não ter provas suficientes. Vão surgindo apelos para um ato de retaliação contra os culpados e responsáveis pelo ataque com gás. Mas tal não pode ser um golpe a desferir às cegas."
Traçando paralelos na política externa, seguida por dois últimos presidentes dos EUA, Vyacheslav Mutuzov salientou:
"Obama e Bush têm estado unânimes no intuito de mudar os regimes políticos no Iraque e na Síria. Bush se esforçava por encontrar armas de extermínio em massa no Iraque. Agora soubemos do ataque com o emprego de armas químicas na Síria."
Robert Kelly defende opinião diferente. No seu entender, Obam e Bush Junior têm pouca coisa em comum:
"Obama tem estado mais prudente. Basta ver a sua atitude para com a situação na Líbia."
Créditos: VOZ DA RÚSSIA

Fiscais resgatam sete pessoas do trabalho escravo em municípo paulista

Fiscais resgatam sete pessoas do trabalho escravo em Divinolândia

 Fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego resgataram sete pessoas que trabalhavam em condições análogas à escravidão na cidade de Divinolândia (SP). Os trabalhadores, vindos da cidade de Madre de Deus (MG), não foram registrados pelo empregador, que mantinha retidas as carteiras de Trabalho. Todos trabalhavam como colhedores de café, em uma fazenda do município paulista, e foram libertados ante-ontem (29) pelos fiscais. Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), eles colhiam café todos os dias das 5h30 às 18h. O empregador concedia apenas 15 minutos de intervalo para o almoço. Na lavoura, os trabalhadores não usavam equipamentos de proteção. No alojamento, homens e mulheres compartilhavam o banheiro. Também não havia roupa de cama, cobertor ou travesseiro. Nos fundos da casa, o fazendeiro mantinha embalagens de agrotóxico, o que é proibido pela lei ambiental, por representar risco de contaminação.
De acordo com o MPT, o fazendeiro foi enquadrado no crime de redução de pessoas à condição análoga à de escravas. Agora, ele será obrigado a fazer o registro em carteira e pagar as verbas rescisórias e as passagens de volta para a casa. Caso se recuse a pagar os direitos trabalhistas dos empregados, ele pode ser processado.
O fazendeiro ainda pode ser incluído na lista suja do trabalho escravo, mantida pelo MTE. Com isso, eles não poderá ter acesso a financiamentos em bancos públicos.

Problemas financeiros bloqueiam o raciocínio

Os problemas financeiros bloqueiam as capacidades de raciocínio e as pessoas que passam por dificuldades financeiras são frequentemente incapazes de se ajudarem, consideram os cientistas norte-americanos.

problemas financeirosOs resultados das suas pesquisas foram publicados no jornal Zeit, citando a revista Science.
A um grupo de pessoas foi pedido que imaginem como irão pagar a reparação do seu automóvel, mas simultaneamente tinham de resolver uma série de charadas. Aqueles que ganhavam menos dinheiro tinham mais dificuldades em resolver as tarefas do que os que tinham rendimentos mais elevados.


Crédiros: VOZ DA RÚSSIA

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

PIB supera expectativa e cresce 2,6% no primeiro semestre



No trimestre, aumento foi de 1,5%; todas as atividades econômicas cresceram no período, com destaque para a agropecuária e indústria.

 A economia brasileira cresceu 1,5% no segundo trimestre, em relação ao trimestre anterior, e cresceu 2,6% no acumulado de 2013. O resultado do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, totalizou R$ 1,2 trilhão no período de abril a junho. 
O crescimento superou as expectativas do Banco Central, que eram de 0,89%, e do próprio mercado, que ficava em torno de 1%.
Os dados foram divulgados hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com o segundo trimestre de 2012, o PIB teve crescimento de 3,3%. No primeiro trimestre, o PIB havia crescido 0,6% em relação ao trimestre anterior.
Em relação ao 1º tri de 2013, todas as atividades econômicas cresceram, com destaque para a agropecuária (3,9%) e para a indústria (2%). Os serviços registraram expansão de 0,8%.
Todos os subsetores que formam o indicador da indústria apresentaram resultados positivos. O melhor desempenho foi da construção civil (3,8%). A indústria de transformação apresentou aumento de 1,7%.
Outro destaque em relação à indústria foi a formação bruta de capital fixo, com crescimento de 3,6%. O indicador exprime os investimentos das empresas em máquinas e outros bens para ampliar a produção.
As exportações de bens e serviços cresceram 6,9%, enquanto que as importações aumentaram em menor ritmo: 0,6%.
Foto: Zito Bezerra
Créditos: Rede Brasil Atual

Não haverá vencedores na guerra síria

Não haverá vencedores na guerra síria

As autoridades da Síria ameaçam os Estados Unidos com armas capazes de surpreender o mundo. Especialistas duvidam que seja possível surpreender os norte-americanos em matéria de armamento em geral seja com o que for, mas reconhecem a inevitabilidade do dano que sofrerá a coalizão anti-Assad em caso de invasão por terra e ar.

Segundo o cenário mais provável, os EUA realizarão um ataque de mísseis limitado contra a Síria. Esta é a opção menos cara, tanto do ponto de vista de reputação, como do ponto de vista financeiro. Eis o comentário do Centro de Pesquisa Social e Política russo Vladimir Yevseev:
“Os Estados Unidos podem realizar o primeiro ataque de uma distância não acessível à defesa aérea síria. Presumo, em primeiro lugar, mísseis de cruzeiro Tomahawk, cujo alcance é de até 1.600 quilômetros. Esses mísseis podem ser lançados tanto desde navios de superfície, bem como desde submarinos nucleares multiúso do tipo Los Angeles.”
A Síria tem capacidades limitadas de proteção de instalações importantes deste tipo de armas. Primeiro de tudo, podemos falar de complexos russos do tipo Tor ou Buk. Há que entender, no entanto, que neste caso estamos falando não de defesa aérea, mas de defesa antimísseis.

Além disso, para atacar a Síria podem ser usados mísseis de cruzeiro lançados do ar, baseados em bombardeiros estratégicos. Este ataque será bastante difícil de repelir. Mas se subsequentes ataques de mísseis e bombas serão realizados por forças aéreas navais, se se tratar de garantir a supremacia no ar, talvez a Síria poderia contrapor algo. Podem ser tanto meios de defesa aérea, como a limitada aviação que a Síria tem.”
O editor executivo da Revista Militar Independente Viktor Litovkin também diz que a defesa aérea da Síria é capaz de causar danos bastante significativos à aviação inimiga:
“A Síria tem um potencial bastante forte de defesa aérea. Ele é baseado em sistemas de produção russa e soviética. Desde complexos S-125, S-200 e até complexos TOR-M1, BUK-M1, Pantsir-S1, capazes de lutar tanto contra caças e bombardeiros, como contra mísseis de cruzeiro. InclusiveTomahawks. Mas, evidentemente, o potencial norte-americano é muito superior ao potencial do exército sírio.”
Por outro lado, os soldados sírios têm o espírito de luta. Assim, quando os representantes da Síria falam de uma arma milagrosa, eles têm em mente, provavelmente, o potencial humano. Embora só a vontade de vencer não seja suficiente na guerra moderna, há que admitir, no entanto, que o exército sírio está muito mais motivado do que o norte-americano. Eis o comentário do diretor do Centro de conjuntura estratégica Ivan Konovalov:
“O exército sírio provou em dois anos de guerra que não simplesmente sabe lutar, mas ainda não perde a capacidade de aprender em combate. Em tempos, ele foi preparado para enfrentar o exército israelense. E a maior parte dele esteve concentrada nas colinas de Golã. Ele não foi treinado para operações policiais ou luta contra guerrilheiros e terroristas. No entanto, em dois anos ele aprendeu isso.
Além disso, o exército sírio mostrou boa resistência. Soldados sírios não estão fugindo, continuam a lutar. Embora este não seja um exército grande, não tem uma reserva móvel muito grande.”
Agora Obama está ganhando tempo. Ele está sendo empurrado para a guerra por circunstâncias e não por um desejo ardente de guerrear. A verdade é que o uso do poder militar norte-americano certamente pode mudar o equilíbrio de poder na Síria. Mas isso não vai resolver os principais conflitos históricos, étnicos, religiosos que alimentam este conflito.
Créditos: 
VOZ DA RÚSSIA

Os britânicos propõem bombardear a Síria por razões humanistas

bombardeamento, ataque aéreo

O projeto britânico de resolução sobre a Síria, que possibilita iniciar uma operação de guerra contra as tropas de Bashar Assad foi encaminhado aos governos dos países-membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU para estudo. Moscou confirmou seu recebimento. Na véspera o projeto de resolução foi debatido em reunião fechada de representantes dos cinco principais membros do Conselho de Segurança em Nova York, entretanto não obteve apoio – a Rússia e a China rejeitam categoricamente o emprego da força.

A Grã-Bretanha propõe ao Conselho de Segurança da ONU aprovar uma resolução que permite empregar “medidas necessárias para defesa da população civil” na Síria. Na realidade por trás dessa formulação ocultam-se planos dos países do Ocidente de desfechar ataques de mísseis, está convicto o especialista do Instituto do Oriente Médio, Serguei Seregichev:
“Eles não pretendem invadir. Porque a experiência do Iraque mostra que eles, naturalmente, em duas semanas “acabam” com o Exército sírio, mas começará a resistência. Sendo que todos irão atirar contra os americanos e seus aliados: tanto os partidários de Assad, como os islamitas. Por isso o Ocidente procurará abster-se da invasão por terra, mas irá – como na Iugoslávia em 1999 – destruir a infraestrutura militar, política e socioeconômica, usando a vantagem em mísseis.”
“O regime sírio continua a guardar reservas de armas químicas. Informação, acessível de amplo espectro de fontes, indica o regime sírio na qualidade de responsável pelo uso da arma química.”Os britânicos propõem fundamentar seu desejo de bombardear a Síria com os princípios da “intervenção humanitária”. Do ponto de vista do ministro do Exterior da Grã-Bretanha, William Hague, possíveis ações militares serão legais, proporcionais e orientadas para a salvação de vidas por meio da prevenção do uso ulterior da arma química síria. O secretário-geral da OTAN, Anders Fogh Rasmussen, declarou na véspera que foi justamente o exército de Bashar Assad que empregou o sarin:
Mas por enquanto não se sabe que informação é essa. No decurso da última semana o Ocidente, encabeçado por Washington, promete apresentar ao mundo provas irrefutáveis da culpa de Bashar Assad. Mas as coisas não vão além de afirmações sem provas. Segundo dados do jornal The New York Times a causa disto é que as autoridades dos EUA não têm essas provas. Existem apenas conversações telefônicas grampeadas de supostos chefes militares sírios. Mas isto não pode provar a ligação de Bashar Assad com o ataque contra a população civil.
A Grã-Bretanha está mais agressiva. Mas é pouco provável que Londres se decida a atacar antes de Washington, supõe o especialista em Estudos Orientais do Instituto de Avaliações Estratégicas e Análises, Serguei Demidenko:Barack Obama por enquanto não se apressa com a resolução sobre a Síria. Mais do que isto, na quarta-feira os legisladores americanos exigiram do presidente explicar detalhadamente e com motivação a necessidade de envolver os EUA em mais um conflito militar. A carta foi assinada por 116 membros da Câmara de Representantes. O mais provável é que agora a Casa Branca seja obrigada a esperar o término dos trabalhos dos especialistas da ONU na Síria e a conclusão deles.
“Tomemos como exemplo a Líbia. Os americanos participaram não muito ativamente nessa operação. Mas enquanto eles não levaram suas tropas para as fronteiras da Líbia, enquanto eles não realizaram alguns gestos ameaçadores a Kadhafi, os ingleses e franceses esperaram suficientemente pacíficos. Os ingleses não darão conta também desta operação sozinhos. Por isso eles estimulam por todos os meios Washington, para que os EUA ataquem abertamente Assad que os ingleses irão atrás.”
A questão do apoio aéreo das operações a partir de bases aéreas da OTAN na Europa não foi resolvida ainda. Sabe-se que a Áustria recusou-se a ceder o espaço aéreo para sobrevoo de aviões de guerra da OTAN, caso eles sejam deslocados para atacar a Síria. A República Tcheca e a Bélgica estão em dúvida.Enquanto isso forças militares do Ocidente reúnem-se em torno da Síria. No leste do mar Mediterrâneo já se encontra um grupo da Marinha dos EUA de quatro contratorpedeiros armados com mísseis Tomahawk, e também navio e submarino da Grã-Bretanha. No mar Adriático está um porta-helicópteros britânico e duas fragatas. No mar Vermelho e no golfo Pérsico estão grupos de porta-aviões americanos. Agora a França envia às costas da Síria uma fragata moderna de defesa antiaérea.
Damasco declara que irá se defender por todos os meios ao alcance.
Créditos: 
VOZ DA RÚSSIA

Astrônomos identificam estrela gêmea do Sol

Astrônomos identificam estrela gêmea do Sol

Uma equipe internacional de astrônomos do Observatório Europeu do Sul (ESO), localizado no Chile, identificou uma estrela gêmea do Sol, denominada HIP 102152, a cerca de 250 anos-luz (1 ano-luz equivale, aproximadamente, a 10 trilhões de quilômetros) de distância da Terra. A descoberta, anunciada quarta-feira (28), é descrita em artigo da revista especializada Astrophysical Journal Letters.
Segundo pesquisadores, a análise da HIP 102152 fornece evidências da ligação entre a idade das estrelas e a concentração do elemento químico lítio, além de sugerir a existência de planetas rochosos do tipo terrestre (similares à Terra) orbitando ao seu redor. O estudo envolve cientistas brasileiros, incluindo pesquisadores do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo, e de outros cinco países.
Apesar de ser quase idêntica ao Sol, a estrela tem idade estimada em 8,2 bilhões de anos, sendo cerca de 4 bilhões de anos mais velha. A similaridade e a diferença de idade podem auxiliar nos estudos sobre a evolução futura do Sol, cujo tempo de vida é estimado em 10 bilhões de anos. O estudo da estrela, que não é visível a olho nu, permite aos cientistas prever o que pode acontecer ao próprio Sol quando chegar a essa idade.
Os cientistas descobriram que a HIP 102152, situada na Constelação de Capricórnio, é a gêmea solar mais velha conhecida até agora, tendo massa e composição química similar ao Sol, com níveis semelhantes de elementos como o hidrogênio, carbono, ferro, alumínio, vanádio e lítio.
* Com informações da Agência USP
Créditos: Agência Brasil

Saúde será o ministério com mais dinheiro em 2014



Pasta vai receber mais recursos (R$ 80,65 bilhões), a exemplo do orçamento para 2013, quando a previsão foi de R$ 76,67 bilhões.
No orçamento previsto para 2014, a pasta da Saúde será novamente a que vai receber mais dinheiro (R$ 80,65 bilhões), a exemplo de 2013, quando a previsão orçamentária foi de R$ 76,67 bilhões. Graças ao Programa Mais Médicos e a outros projetos do Ministério da Saúde, será também a pasta cujo orçamento receberá o maior aumento (mais R$ 3,97 bilhões).
Os gastos com conclusão de projetos para a Copa de 2014 e as economias feitas com custeio administrativo implicam redução de R$ 866,6 milhões nas despesas do Poder Executivo, previstas no orçamento de 2014, na comparação com 2013. Os valores apresentados não consideram obras vinculadas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
De acordo com a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, as despesas dos ministérios foram todas ampliadas ou mantidas. “Alguns poucos ministérios tiveram redução, e os motivos ficaram restritos a casos envolvendo Copa do Mundo ou custeio administrativo”, disse a ministra.
A maior parte da economia prevista no projeto de Lei Orçamentária de 2014, divulgado ontem (29) pelo governo federal, será com custeio administrativo (R$ 589,9 milhões). O Ministério da Fazenda responderá por uma redução de R$ 342,8 milhões.
As despesas com a conclusão de projetos ligados à Copa serão menores em R$ 276,7 milhões, na comparação com o projeto de lei orçamentária anual de 2013. No Ministério do Turismo, a redução será R$ 123,5 milhões; e no do Esporte, R$ 153,2 milhões.
A pasta que obteve maior alta na previsão de orçamento foi a da Saúde, com uma variação positiva de quase R$ 4 bilhões, passando dos R$ 76,67 bilhões para R$ 80,65 bilhões. “O aumento está relacionado ao Programa Mais Médicos e, também, a uma série de ampliações propostas pelo ministro Alexandre Padilha”, disse a ministra.

Créditos: Rede Brasil Atual

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Papa faz alerta sobre “trágica situação” na Síria


O papa Francisco pediu hoje (29) que a comunidade internacional busque o fim do impasse na Síria por m
eio do diálogo e, não pela guerra. Francisco diz que o único caminho para a paz é pelo diálogo e a negociação. No encontro com o rei da Jordânia, Abdullah II, Francisco apelou para que o mundo tenha uma “atenção especial” em relação à Síria e fique em alerta devido à “trágica situação” que ocorre na região.
Em pouco mais de dois anos, cerca de 100 mil pessoas morreram nos conflitos na Síria. No último dia 21, 750 pessoas morreram supostamente em consequência do uso de armas químicas. Em nota, divulgada pelo Vaticano, o papa reitera o pedido da negociação consensual na Síria apesar da pressão de países, como Reino Unido, França e Estados Unidos, para uma intervenção militar.
“[Na conversa com o rei da Jordânia] foi reafirmado que o caminho do diálogo e da negociação entre todos os que integram a sociedade síria, com o apoio da comunidade internacional, é a única opção para acabar com o conflito e violência que a cada dia causa perda de muitas vidas, especialmente entre a população civil", diz o texto divulgado pelo Vaticano.
Segundo a assessoria de Francisco, na reunião com Abdullah II, a conversa abordou a promoção da paz e da estabilidade no Oriente Médio, inclusive a retomada das negociações entre israelenses e palestinos. O papa também agradeceu ao rei, que é muçulmano, o apoio no esforço de promover o diálogo entre as religiões.
*Com informações da rádio do Vaticano.
Créditos:Agência Brasil

Governo propõe salário mínimo de R$ 722,90


 O novo valor do salário mínimo deverá ser R$ 722,90. O anúncio foi feito há pouco pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Ela esteve no Congresso para entregar ao presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), a peça orçamentária de 2014. O texto deve ser votado pela Câmara e pelo Senado até o fim do ano.
O reajuste passa a valer em 1º de janeiro de 2014. O valor atual do mínimo é R$ 678.
“O novo valor incorpora a regra de valorização do salário mínimo que tem sido uma política importante de alavancagem da renda das famílias no Brasil, que tem nos levado a patamares de quali
dade de vida muito superiores”, disse Belchior. 
Créditos; Agência Brasil

Café reduz risco de cancêr

Pesquisa sugere que os compostos bioativos presentes no café podem ter efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes

 O consumo de café está associado a um menor risco de recorrência do câncer de próstata, de acordo com estudo de pesquisadores do Fred Hutchinson Cancer Research Center, nos EUA.
Os resultados mostram que os compostos bioativos presentes no café e no chá podem prevenir a doença de retornar e atrasar sua progressão.
A líder da pesquisa Janet L. Stanford e seus colegas descobriram que os homens que bebiam quatro ou mais xícaras de café por dia experimentaram uma redução de 59% no risco de recorrência do câncer de próstata e / ou progressão, em comparação com aqueles que bebiam apenas uma ou menos xícaras por semana.
O estudo envolveu 1.001 sobreviventes de câncer de próstata, com idades entre 35 e 74 anos de idade no momento do diagnóstico, entre 2002 e 2005.
Os participantes responderam a perguntas sobre sua dieta e consumo de bebidas dois anos antes do diagnóstico do câncer de próstata por meio de um questionário de frequência alimentar e foram entrevistados sobre informações demográficas e de estilo de vida, história familiar de câncer e uso de medicamentos.
Dos participantes, 630 responderam a questões referentes à ingestão de café, se encaixaram nos critérios de acompanhamento e foram incluídos na análise final. Destes, 61% dos homens consumiram pelo menos uma xícara de café por dia e 12% consumiram uma quantidade maior: quatro ou mais xícaras por dia.
"Nosso estudo difere dos anteriores porque usamos uma definição composta da reincidência e progressão do câncer de próstata. Usando dados detalhados, nós podemos determinar se um paciente tem risco de recorrência ou progressão do câncer de próstata", afirma o primeiro autor Milan Geybels.
Segundo os pesquisadores, as atividades biológicas associadas com o consumo de compostos fitoquímicos encontrados no café incluem efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes, além da modulação do metabolismo da glicose.
Apesar dos resultados promissores, a equipe enfatiza que o café ou seus componentes ainda não podem ser recomendados para prevenção secundária do câncer de próstata antes que seu efeito preventivo seja demonstrado em um ensaio clínico.
R7 
Créditos:WSCOM

Cientistas: extraterrestres vieram há milhões de anos

espaçonave, extraterrestres, espaço

Há milhões de anos, civilizações que possuíam altas tecnologias lançaram sondas espaciais para estudar o Sistema Solar, asseguram cientistas escoceses.


Eles tiraram tal conclusão ao calcular a possibilidade matemática de construção de aparelhos automáticos capazes de realizar viagens interestelares.
Os cientistas de Edimburgo estão convencidos de que existe uma gigantesca diferença entre os níveis tecnológicos dos terrestres e extraterrestres. Ela é tão grande que homem não é capaz de observar no Sistema Solar a presença de corpos espaciais estranhos.
VOZ DA RÚSSIA

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Onde os críticos dos médicos cubanos guardam o seu racismo?



Comparar vocação com opressão é tão estúpido quanto – guardadas as proporções – dizer que Irmã Dulce trabalhava como escrava para a Igreja Católica


Está em todos os jornais desta terça feira (27): os 96 médicos, sendo 79 cubanos, que desembarcaram no Ceará para fazer o curso preparatório para atuar na saúde pública brasileira foram hostilizados e xingados na saída da primeira aula, logo após a Solenidade de Acolhimento. Um grupo de cerca de 50 médicos esperavam os estrangeiros do lado de fora da Escola de Saúde Pública de Fortaleza, vaiando, gritando e xingando os profissionais.
 
Alguns chamaram médicos que são funcionários públicos de carreira do Ministério da Saúde de Cuba de "escravos" ou "semi-escravos". Além da ofensa grosseira à ideologia de vida escolhida por cidadãos cubanos altamente qualificados e pelo desrespeito à autodeterminação dos povos, causa extremo mal-estar a conotação racista, ainda que a intenção não tenha sido essa.
Mas ninguém se superou mais do que uma colunista de olhos azuis de um jornalão paulista, ao dar o título na matéria de sua coluna sobre o assunto de "Avião negreiro", referindo-se aos voos que trazem os médicos cubanos.
Cuba é um país com grande parte da população afrodescendente e, pelo ensino ser totalmente público e igual para todos, há muitos médicos negros, inclusive muitos que estão vindo ao Brasil. Fazer comparações depreciativas com a escravidão é de um absoluto mau gosto.
Pelo contrário, o fato de muitos negros cubanos exercerem profissões consideradas de alto prestígio social, demonstra que aquela nação socialista superou a herança maldita da escravidão há algum tempo.
Além disso, se Cuba tem seus problemas a serem superados, sob muitos aspectos, saúde entre eles, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de lá é consideravelmente superior ao brasileiro. E são médicos cubanos que estão se dispondo a ir para as regiões mais subdesenvolvidas do Brasil para melhorar este índice. Em vez de esses brasileiros criticarem, deveriam agradece e a eles se juntar.
Outra coisa é a falta de visão fora do modelo consagrado do capitalismo. Por ser uma nação socialista há mais de cinco décadas, quem se forma em medicina em Cuba é porque tem vocação para ser médico, para salvar vidas, acima de interesses financeiros. Comparar vocação com opressão é tão estúpido quanto – guardadas as proporções – dizer que Irmã Dulce trabalhava como escrava para a Igreja Católica.
Felizmente a maioria da população repudiou veementemente esses ataques de xenofobia e preconceito. As próprias cartas de leitores dos jornalões, em grande parte estão dando boas vindas aos que querem atender pacientes do SUS que hoje não tem médicos, sejam brasileiros, cubanos ou de outros países.
por Helena Sthephanowitz
Crédito: Rede Brasil Atual

Dilma critica preconceito contra cubanos


 A presidenta Dilma Rousseff criticou hoje (28) os que têm preconceito contra a presença dos médicos cubanos no Brasil. Em entrevista a rádios de Minas Gerais, ela ressaltou que há também médicos de
 outros países, além de Cuba. A presidenta reiterou que os estrangeiros estão no Brasil para desempenhar o trabalho que os médicos brasileiros não querem fazer.     
"É um imenso preconceito sendo externado contra os cubanos. É importante dizer que os médicos estrangeiros, não só cubanos, vêm ao Brasil para trabalhar onde médicos brasileiros formados aqui não querem trabalhar”, disse ela.
Ontem (27), a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) solicitou à Procuradoria-Geral do Trabalho investigação da relação de trabalho dos profissionais que atuarão pelo Mais Médicos. A entidade alega que o fato de os médicos não revalidarem os diplomas vai causar restrição de locomoção, o que, segundo a entidade, é uma das características do trabalho escravo.
Pelas regras do governo, todos os profissionais do Mais Médicos receberão uma “bolsa formação” pelo serviço nas regiões carentes. Não haverá contrato de trabalho. O Ministério da Saúde é favorável à concessão de pagamento por intermédio de bolsa porque os médicos farão uma especialização na atenção básica ao longo dos três anos de atuação no programa.
No caso dos médicos cubanos, eles atuarão no Brasil em regime diferente dos que se inscreveram individualmente no Mais Médicos. O Ministério da Saúde brasileiro firmou acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para que a entidade internacional buscasse parcerias para a vinda de médicos para o país. Pelo acordo, a Opas fez acordo com Cuba, prevendo inicialmente a vinda de 4 mil médicos cubanos. Os primeiros 400 profissionais desse acordo a chegarem no país vão atuar em parte das 701 cidades que não receberam inscrições individuais de médicos.
No acordo, os repasses financeiros serão feitos do Ministério da Saúde para a Opas. A entidade repassará as quantias ao governo cubando, que pagará os médicos. Inicialmente nem a Opas nem o Ministério da Saúde souberam especificar quanto dos R$ 10 mil pagos por médico será repassado para os profissionais, porém, o secretário adjunto de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Fernando Menezes, disse depois que a remuneração ficaria entre R$ 2,5 mil e R$ 4 mil.
Créditos:  Agência Brasil

EUA planejavam derrubar Assad ainda em 2006, informa WikiLeaks

bashar assad, síria, presidente
As autoridades estadunidenses se interessaram pela deposição de Bashar Assad ainda em 2006, prova uma correspondência diplomática da embaixada dos EUA, publicada no site WikiLeaks.

Os documentos afirmam que, no final de 2006, Assad tinha uma posição mais forte do que há dois anos.
Num documento, datado de 13 de dezembro de 2006, diz-se que a imposição de sanções contra certos membros do regime no poder na Síria seria aprovada pela maioria da sociedade síria. O documento também observava que os EUA poderiam usar contra o presidente sírio seus laços estreitos com o Irã, aproveitando o fato de a maioria sunita da Síria temer as tentativas do Irã de converter a sociedade síria ao xiismo. Além disso, para desestabilizar o regime de Assad, Washington poderia se concentrar nas reformas mal sucedidas do presidente da Síria, bem como nos problemas econômicos no país.
Créditos: 
VOZ DA RÚSSIA