Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 31 de julho de 2016

Carta de Dilma terá comprpmisso com novas eleiçôes

A presidente eleita Dilma Rousseff irá formalizar seu compromisso com novas eleições, segundo informa a coluna Painel:Dilma Rousseff ainda faz ajustes na carta que apresentará aos senadores. A ideia é terminá-la, enfim, nesta semana. Antes, quer consultar petistas e os ditos indecisos, como Cristovam Buarque (PPS-DF). 
Dilma bateu o martelo: vai incluir na carta o compromisso de chamar um plebiscito para novas eleições. Recente pesquisa Ipsos apontou que 52% defendem novas eleições, enquanto 20% querem a volta de Dilma. Apenas 16% defendem que o interino Michel Temer continue no cargo até o fim de 2018.
Créditos: Brasil 247

SUS pode perder metade do orçamento e deixar de ser universal

sus - ag brasil
O governo interino de Michel Temer pode causar danos graves para o Sistema Único de Saúde (SUS), entre eles a redução de quase metade do orçamento da saúde pública e o fim dos princípios constitucionais de universalização e equidade, que regem o SUS. É o que afirma o médico sanitarista José João Palma, membro do Movimento Sanitário.
A desvinculação de receitas para a pasta, que pode ser efetuada por projetos de lei aprovado a toque de caixa, pode girar em torno de R$ 44 bilhões ao ano, segundo estimativas de economistas. “O orçamento da saúde hoje gira em torno de R$ 100 bilhões. Podemos perder quase metade, em uma área que já é subfinanciada e que já tem pouca verba para expansão”, diz Palma.
Está na pauta da Câmara o Projeto de Lei Complementar (PLP) 257/16, do Executivo, que retira recursos da saúde e da educação ao barrar a evolução de servidores públicos municipais, estaduais e federais na carreira, impedir concurso público e congelar salários, entre outras medidas. O Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União as exonerações de 73 funcionários, em determinação de Temer anunciada como medida para cortar gastos com cargos em comissão nos ministérios.
“Estamos convivendo com golpe civil que busca legalidade e ameaça direitos sociais que para serem conquistados levaram uma vida”, afirma o membro do Conselho Nacional de Saúde (CNS) Renato Almeida Barros. “A estrutura do ministério está hoje muito ligada à defesa da privatização da saúde pública.”
Mais que orçamento e quadro pessoal, estão em jogo também os princípios constitucionais que regem o SUS, segundo Palma: universalidade, que garante atendimento para todos; integralidade, que expandiu os serviços desde a vigilância de água até o sistema de transplantes de órgãos; equidade, fazendo com que quem é mais pobre receba atendimento de qualidade; e participação social.
“É aí que mora o perigo”, diz o médico. “Se acabar a universalização do SUS, quem tem plano de saúde vai ficar OK, mas quem não tem vai voltar ao tempo da filantropia e da caridade. Se acabar a integralidade, o SUS funcionará com uma cesta básica de procedimentos, que excluirá os mais caros. Sem a equidade os mais pobres não terão acesso à saúde pública. Além disso, os conselhos de controle devem perder força, impedindo a participação social, que é o diferencial do SUS.”
Palma e Barros concordam que a resistência deve vir das ruas, pelos movimentos sindicais e sociais. “Temos sobre nós a herança de luta para instituições e a seguridade social somos responsáveis”, diz o primeiro. Por RBA. Foto: EBC.
Créditos: Revista Forum

Julgamento final do impeachment começará em 29 de agosto, diz STF

O julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff começará no dia 29 de agosto e tem previsão para durar uma semana, informou o Supremo Tribunal Federal (STF) neste sábado (30) por meio de nota.
O cronograma divulgado prevê que no dia 9 de agosto, uma terça-feira, seja realizada a primeira sessão plenária sobre o impeachment, sob coordenação do presidente do STF, Ricardo Lewandowski. A partir de então, defesa e acusação terão 48 horas para apresentar seus argumentos e o rol de testemunhas que participarão da fase final do processo.

Em seguida, será respeitado um prazo de dez dias estipulado pela Lei 1079/1950, que regulamenta o impeachment, para que possa ter início o julgamento definitivo. Com isso, a primeira data possível para o início do procedimento final seria 26 de agosto, uma sexta-feira.
Segunda a nota, um acordo entre Senado e STF fez com que essa primeira data possível fosse adiada para a segunda-feira seguinte, dia 29 de agosto. 

A previsão é de que o processo dure ao menos uma semana, mas o próprio Supremo afirma que poderão ocorrer atrasos por causa das discussões em plenário. O desfecho do processo de impeachment pode vir então a ser conhecido somente em meados de setembro. O que pode atrapalhar os planos do  presidente interino Michel Temer, que planeja, no mesmo período, sua primeira viagem internacional, para a China, caso seja confirmado no cargo.

Na próxima terça-feira, 2 de agosto, o relator Antonio Anastasia (PSDB-MG), lerá seu parecer final na Comissão Especial de Impeachment do Senado. A votação do relatório está marcada para dois dias depois.
Senadores contrários ao impedimento de Dilma preparam dois votos em separado e já pediram ao presidente do colegiado, Raimundo Lira (PMDB-PB), tempo para que ambos sejam lidos na comissão. 
Créditos: Agencia Brasil

Ponte mergulha no oceano para conectar dois paises

Divulgação
Já é sabido que conhecer a Europa ultrapassa os limites geográficos. A proximidade dos países facilita nossa viagem e torna possível até mesmo o aluguel de um carro para dirigir pelas vias europeias – verdadeiros tapetes a céu aberto. Apesar disso, a Suécia sempre foi um desafio para aqueles que desejam visitá-la com um automóvel.
Cercada pelo mar Báltico, a grande costa sueca parece, a princípio, impenetrável. Não existem vizinhos que façam uma conexão pelas estradas do Velho Continente e se arriscar pela Noruega ou Finlândia torna a missão ainda mais difícil – e distante. Porém, um pequeno trecho conhecido como estreito de Öresund parece ser uma luz no fim do túnel para concretizar esse desafio.
Além de sua função geográfica, que liga as águas do Báltico para o mar do Norte, ele passou a figurar nos GPS como a única maneira de chegar à Suécia de carro. A alternativa conecta a cidade de Malmo com a capital dinamarquesa, Copenhague, e surgiu graças aos esforços de ambos os governos, que iniciaram o projeto em 1991. A solução foi entregue nove anos depois e recebeu o nome de Ponte Öresund. Ao longo dos 16 km de extensão, turistas e moradores são transportados para dois países diferentes por um caminho com partes subterrâneas e ao ar livre. Para utilizá-la, é preciso desembolsar €48 em um pedágio local. Abaixo do nível do mar, uma ferrovia carrega passageiros pela mesma rota, embora faça o itinerário bem mais rápido – sem que haja, por exemplo, muito tempo para apreciá-la.
Créditos: UOL

sábado, 30 de julho de 2016

Papa pede aos jovens que se rebelem para que as coisas mudem

papa Francisco pediu aos jovens que se rebelem para questionar, sonhar, e evitar os "caminhos obscuros que roubam o melhor de vocês", durante o primeiro encontro, na Polônia, com centenas de milhares de pessoas que participam da Jornada Mundial da Juventude.

"É lindo e me conforta o coração vê-los tão revoltados", afirmou o papa latino-americano, ao falar em italiano aos 600.000 jovens reunidos no enorme parque de B?onia, no centro de Cracóvia.
"É estimulante escutá-los, compartilhar seus sonhos, suas perguntas e seu desejo de se rebelar contra todos aqueles que dizem que as coisas não podem mudar", confessou diante de uma multidão heterogênea, que escutava a tradução em vários idiomas graças aos fones de ouvido conectados aos emissores. "As coisas podem mudar. Não é verdade?", perguntava o papa aos jovens, que em coro respondiam "sim", "sim".

Como ocorreu em outras ocasiões, o papa se inspirou no célebre discurso de Martin Luther King. "Eu tenho um sonho", a favor dos diretos para os negros, para sacudir as mentes dos jovens dos cincos continentes e convidá-los a "sonhar".

"Vocês são capazes de sonhar?", improvisou o pontífice que falou também da dor que sente ao encontrar jovens "que se aposentaram antes do tempo", que "jogaram a toalha antes de começar a partida", que estão "entregues antes de jogar", que "estão aborrecidos e aborrecem", confessou.

Em seu discurso, o papa pediu às novas gerações que escolham "uma vida plena" com Jesus Cristo, ao invés da "vertigem alienante" e as "falsas ilusões", que "na minha terra natal chamaríamos de 'vendedores de fumaça'", explicou sem afirmar se falava sobre traficantes de droga. "No final, acabam pagando e pagando caro", advertiu. FOTO: FILIPPO MONTEFORTE / AFP
Créditos: JC

Comportamento da mídia e da PF indicam estado de exceção, diz Lula

Lula: Comportamento da mídia e da PF indicam estado de exceção
Em entrevista a Wellignton Calasans, correspondente do blog Cafezinho e de rádios africanas em Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva denunciou o “estado de exceção” em que o Brasil mergulhou e lamentou o golpe travestido de impeachment contra a presidenta eleita Dilma Rousseff.

“Nós temos um comportamento autoritário da imprensa brasileira, um comportamento equivocado de setores do MP, nós temos um estado de exceção com o comportamento da própria Polícia Federal. Eu diria uma situação que envergonha o Brasil no mundo, porque o Brasil não está nem respeitando internamente a Constituição nem está respeitando a democracia”. Lula observou ainda que a democracia brasileira é “muito nova” e que a “elite brasileira não sabe viver democraticamente numa sociedade em que ela não governe”.

O ex-presidente também se mostrou preocupado com o afastamento promovido pelo governo golpista de Michel Temer da política diplomática iniciada no seu governo e estendida para o governo Dilma Rousseff de aproximação com o continente africano. “É com uma certa tristeza que eu assisto de vez em quando o discurso de gente do governo golpista que é preciso diminuir a ação do Brasil com a África, com a América do Sul e que o Brasil precisa fortalecer sua relação com a Europa e com os Estados Unidos, como se em algum momento nós tivéssemos tentado diminuir nossa relação com os Estados Unidos e com a Europa”.

Lula ponderou que o fortalecimento dos BRICS nunca foi uma estratégia para se afastar diplomaticamente das nações ricas, mas uma maneira de robustecer os países em desenvolvimento e trazer mais estabilidade econômica e política ao mundo.

“É importante lembrar que eu disse que se a gente quisesse resolver o problema da crise econômica que estava surgindo (e se agravou com a queda do Leman Brothers), a gente tinha que incluir os países pobres no comércio internacional. Se a gente fechar o mercado, a gente não vai poder resolver o problema da economia. Os pobres serão a solução para a crise econômica que estamos vivendo. Vamos incentivar, vamos financiar o desenvolvimento dos países mais pobres”.

Para o ex-presidente Lula, ainda é possível reverter o golpe no Senado para que a presidenta Dilma retome o seu mandato. Ele criticou a postura do governo ilegítimo de Michel Temer, que vem desmontando políticas públicas importantes para o povo brasileiro e ameaçando direitos arduamente conquistados.
“O Temer não se comporta como um presidente interino, ele se comporta como se já fosse presidente, como se já tivesse consagrado o golpe, como se já tivesse aprovado o impeachment e ainda não foi aprovado”.

Sobre a perseguição praticada contra ele e contra o Partido dos Trabalhadores por setores da mídia conservadora, o presidente lamentou que não reconheçam o legado de inclusão social promovido pelo seu governo. “A imprensa brasileira nunca me tratou bem. Desde que eu surgi no movimento sindical, em 1975. Depois não aceitou nunca o PT e não aceitou as minhas candidaturas. Ela tolerava minhas candidaturas, até que eu ganhei as eleições. O que é indescritível é que eles sabem que, na história do Brasil, eu fui o presidente que mais fez inclusão social na história desse país, eles sabem o que aconteceu com o povo pobre.

Para o presidente, as ofensivas da mídia e do judiciário têm o claro objetivo de impedi-lo de se candidatar à Presidência em 2018. “Estão tentando todo e qualquer tipo de acusação contra mim. Já faz dois anos e pouco que eles estão fazendo isso e até agora não conseguiram nada, mas continuam falando. E a imprensa toda sabe que isso faz parte de um jogo de tentar criar qualquer impedimento para que eu seja candidato à presidência em 2018”. Por fim, mostrando consciência da importância do seu papel como uma das principais lideranças políticas do País, afirmou: “Pode ficar certo que se eu tiver que voltar, eu voltarei muito melhor do que eu fui”.
Créditos: Agencia PT de Notícias

Empresas criam telha que já vem com placas solares

Células fotovoltaicas integradas às telhas de cerâmica: invenção das empresas italianas Area Industrie Ceramiche e REM, que une tradição à inovação. Fotos: Facebook/Reprodução/Tegola Solare
As empresas italianas Area IndustrieCeramiche e Rem desenvolveram a Tegola Solare, uma telha cerâmica com células fotovoltaicas integradas. É uma alternativa sustentável que não atrapalha a estética original das telhas, como acontece muitas vezes com os painéis fotovoltaicos tradicionais, que são grandes e pesados.
Cada telha tem quatro células que transformam a luz solar em energia elétrica, e a fiação fica logo embaixo do telhado. A invenção pode gerar cerca de 3 kw de energia em uma área de 40 m², o que já seria capaz de suprir as neessidades energéticas da residência. As telhas fotovoltaicas são mais caras do que as placas convencionais, mas sua instalação é feita como a de qualquer outro telhado. Fotos: Facebook/Reprodução/Tegola Solare
Créditos: Gazeta do Povo

Dormir com ventilador ligado pode trazer riscos à saúde

O ventilador é o melhor amigo de muitas pessoas durante o dia e na hora de dormir. Apesar de parecer inofensivo, este aparelho pode trazer alguns problemas para a saúde. Primeiro, como explica o site She Finds, o ventilador ‘seca’ o ar, fazendo com que a sua boca e a sua traqueia também sequem, dificultando ainda mais a sua noite de sono. E ainda se arrisca a ficar constipado.
Em segundo lugar, os ventiladores que não são usados com frequência durante o dia acumulam pó, portanto quando liga o aparelho, pode encher o ar (e a si mesmo) de pó. Além de desagradável, isso pode aumentar o risco de sinusite, infecções respiratórias, resfriados, etc. Para evitar estas questões, o melhor é limpar o seu ventilador com alguma frequência. Passar a noite toda recebendo vento do ventilador também pode debilitar o seu sistema imunológico, deixando-o menos capaz de combater bactérias e vírus.
Créditos: Focando a Notícia

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Governo registra maior déficit primário da história

A queda das receitas em meio ao crescimento de gastos obrigatórios fez o Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) registrar o maior déficit primário da história no primeiro semestre. De janeiro a junho, o resultado ficou negativo em R$ 32,521 bilhões. O rombo é bem maior que o registrado no mesmo período de 2015 (R$ 1,76 bilhões). O déficit primário é o resultado negativo das contas do governo antes do pagamento dos juros da dívida pública. 
Apenas em junho, o Governo Central teve déficit de R$ 8,802 bilhões, negativo para o mês pelo terceiro ano seguido e também o maior déficit da história. Em junho do ano passado, a conta estava negativa em R$ 8,249 bilhões.
O resultado negativo em junho só não foi pior por causa da antecipação de recursos da renovação de concessões de usinas hidrelétricas. Uma concessionária pagou, na última semana de junho, R$ 5,2 bilhões que venceriam em 4 de julho. Realizado em novembro do ano passado, o leilão rendeu R$ 16 bilhões ao governo, dos quais R$ 11 bilhões haviam sido pagos em janeiro ao Tesouro Nacional.
A queda da arrecadação provocada pelo agravamento da crise econômica continua a ser a principal causa do aumento do déficit primário em 2016. De janeiro a junho, as receitas líquidas caíram 5,1%, descontada a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em relação ao mesmo período do ano passado.
Pressionadas pelos gastos obrigatórios, as despesas totais ficaram praticamente estáveis, subindo 0,3% acima do IPCA nos seis primeiros meses do ano. Apenas em junho, no entanto, os gastos caíram 5%, descontado o IPCA em relação a junho do ano passado.
Previdência
Os gastos com a Previdência Social subiram 5,4% além da inflação nos seis primeiros meses do ano. As demais despesas obrigatórias cresceram 1,5% acima da inflação. Os gastos discricionários (não obrigatórios), no entanto, caíram 5,8%, descontado o IPCA. As despesas de custeio (gasto com a manutenção da máquina pública) caíram 7,9% de janeiro a junho.
Os investimentos – gastos com obras públicas e compra de equipamentos – somaram R$ 26,775 bilhões, recuo de 12,4% também considerando a inflação oficial. Os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) totalizaram R$ 19,103 bilhões, queda de 12,7% descontada a inflação.
Os investimentos do Programa Minha Casa, Minha Vida somaram R$ 2,997 bilhões, retração real de 61,4%. A queda deve-se principalmente à autorização para que a construção dos imóveis para a população de baixa renda seja financiada com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que passou a valer neste ano e diminuiu o uso de recursos do Orçamento no programa habitacional.(EBC).
Créditos: WSCOM

Empresa desenvolve diesel feito apenas de ar e água

diesel-feito-de-ar-e-agua-da-AudiA Audi tem criado um chamado combustível diesel “sustentável”, feita a partir de uma combinação de água e dióxido de carbono. 
A fabricante de automóveis descreve sua descoberta como o “combustível do futuro” e afirma que poderia fornecer um método de propulsão de veículos isento de emissão de carbono.

Especialistas de energia renovável estão convertendo dióxido de carbono e água em uma forma de petróleo bruto, conhecido como “azul bruto”, posteriormente transformado em diesel. Testes têm mostrado que ele pode ser misturado com o diesel a partir de combustíveis fósseis, ou usado como combustível isoladamente. A Audi já começou a usar o novo “e-diesel” para alimentar o carro oficial da ministra alemã da Educação e Pesquisa, Johanna Wanka, na Alemanha.
Reiner Mangold, chefe de desenvolvimento de produto sustentável da empresa, disse: “Ao desenvolver o Audi e-diesel, estamos promovendo outro combustível à base de dióxido de carbono que irá permitir a mobilidade de longa distância com praticamente nenhum impacto sobre o clima. Usar o dióxido de carbono como matéria-prima, e não como resultado poluente, representa uma oportunidade, não apenas para a indústria automotiva na Alemanha, mas também para transferir o princípio a outros setores e países”. O novo combustível foi desenvolvido pela Audi junto com a Sunfire, uma empresa de tecnologia de energia, situada em Dresden, também na Alemanha.
No desenvolvimento do combustível, a água é primeiramente aquecida para formar vapor. Em seguida, ela é dividida em seu constituinte de hidrogênio e oxigênio, utilizando a eletrólise em alta temperatura. Ao realizar este processo a temperaturas acima de 800 °C, a água rompe com maior eficiência do que em temperatura ambiente. O hidrogênio é então bombeado para um reator com dióxido de carbono a alta pressão e a temperaturas elevadas. Isto gera uma reação para produzir hidrocarbonetos líquidos de cadeia longa. Os hidrocarbonetos representam o bloco de construção básico de todos os combustíveis fósseis, mas o composto produzido no reator é conhecido como “azul bruto”.
A Audi garante que todo o processo é alimentado com energia renovável e pode ser obtido com um rendimento de cerca de 70%. O azul bruto pode, então, ser refinado de uma forma semelhante ao petróleo bruto padrão, para produzir o e-diesel.
 De acordo com a montadora, o combustível sintético não contém enxofre ou anéis de hidrocarbonetos – conhecidos como hidrocarbonetos aromáticos – que são encontrados no petróleo bruto e podem criar poluição adicional. Christian von Olshausen, diretor de tecnologia da Sunfire, disse que o combustível era eficiente e produziu menos poluição do que o diesel tradicional. “O motor fica mais silencioso e menos poluentes estão sendo criados”, garantiu.
A fábrica de processamento especial pretende produzir 3.000 litros de e-diesel nos próximos meses. A Audi disse que também extrai o dióxido de carbono do ar ambiente usando captura direta. A queima de combustíveis fósseis é a principal fonte de emissões de dióxido de carbono feita por seres humanos na atmosfera e está causando o aquecimento global. Ao capturar as emissões das usinas de energia e removê-las do ar, a Audi diz que seu novo combustível pode ser usado sem aumentar a carga de gás na atmosfera.
(Daily Mail / Fotos: Reprodução / Audi) .
Créditos: Jornal Ciência

Taxa de desemprego é a maior desde 2012

A taxa de desemprego no país ficou em 11,3% no trimestre encerrado em junho deste ano. A taxa é superior aos 10,9% observados em março deste ano e aos 8,3% do trimestre encerrado em junho de 2015. Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua foram divulgados hoje (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O resultado de junho deste ano é o mais alto da série histórica, iniciada em março de 2012. Segundo a pesquisa, o contingente de desocupados chegou a 11,6 milhões de pessoas, 4,5% (ou 497 mil pessoas) a mais do que o trimestre encerrado em março e 38,7% (ou 3,2 milhões de pessoas) a mais do que no trimestre encerrado em junho de 2015.

A população empregada (90,8 milhões de pessoas) manteve-se estável em relação a março de 2016. Já em relação a junho de 2015, houve um recuo de 1,5%, ou seja, menos 1,4 milhão de pessoas. Já os empregos com carteira assinada no setor privado (34,4 milhões) ficou estável em relação a março deste ano e caiu 4,1% na comparação com junho do ano passado.
Créditos: Agencia Brasil

Cardozo entrega defesa de Dilma e espera decisão justa do Senado

A entrega das alegações finais da defesa da presidenta eleita, Dilma Rousseff, pelo legítimo advogado-geral da União, Jose Eduardo Cardozo, foi feita nesta quinta-feira (28) com a expectativa de que, em uma decisão justa, os senadores votem pelo arquivamento do processo de impeachment.
“Se for um julgamento justo, mesmo político, é absolvição. 

As provas arrebentam com a acusação”, disse Cardozo após protocolar a peça junto com a senadora Gleise Hoffmann (PT-PR). “As provas são avassaladoras. Afirmamos textualmente que há um golpe”, completou. As cerca de 500 páginas de alegações finais procotoladas pela defesa de Dilma fazem um apanhado do processo de impeachment desde seu início, indicando as razões pelas quais o Senado deve arquivá-lo. A novidade foi a inclusão da sentença do Tribunal Internacional da Democracia nas alegações finais.

O tribunal simbólico, realizado no Rio de Janeiro com a presença de juristas estrangeiros, concluiu que o processo de impeachment contra Dilma é nulo porque viola a Constituição do Brasil, a Convenção Interamericana dos Direitos Humanos e o Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos. O veredito foi enviado também aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os demais pontos da defesa são: o desvio de poder por ter Eduardo Cunha (PMDB-RJ) recebido o pedido de impeachment movido por vingança, o que se comprova com seu discurso de renúncia; o parecer do Ministério Público indicando a inexistência de ilegalidade nos decretos, tampouco de dolo por parte de Dilma; a perícia que constatou a ausência de ato de Dilma nos repasses referentes ao Plano Safra; as testemunhas ouvidas que apontam para inexistência de crime nas chamadas pedaladas fiscais; e a entrevista concedida pela líder do governo golpista no Congresso, senadora Rose Freitas(PMDB-ES), afirmando que o afastamento de Dilma se deu apenas por razões políticas.

Apesar de não poder incluir no processo o áudio do ex-ministro do Planejamento golpista, Romero Jucá (PMDB-RR), articulando pelo impeachment para “estancar a sangria” da operação Lava Jato, Cardozo disse que a peça entregue ao Senado discute as gravações, já que elas tornaram-se fato notório. Outro integrante do governo golpista de Michel Temer teve declarações apensadas ao processo pela defesa de Dilma é o advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, que concedeu entrevista em 2015 sustentando que, sem base constitucional, o impeachment é golpe.
Créditos: Agencia PT


quinta-feira, 28 de julho de 2016

Um terço da população mundial está desnutrida ou com excesso de peso, diz estudo

Um terço das pessoas no mundo está desnutrida ou com excesso de peso, o que provoca aumento da incidência de doenças e pressões sobre os serviços de saúde, segundoo Relatório Nutrição Global publicado por especialistas independentes na terça-feira (14) com o apoio do Programa Mundial de Alimentos (PMA), das Nações Unidas.
Segundo o documento, a desnutrição é responsável por quase metade das mortes de crianças menores de cinco anos em todo o mundo, enquanto as taxas de pessoas com sobrepeso ou obesas estão crescendo em todas as regiões e em quase todos os países.
De 7 bilhões de pessoas no mundo, 2 bilhões sofrem de má nutrição, 800 milhões são afetadas por deficiência calórica, enquanto 2 bilhões estão com sobrepeso ou obesas, segundo o documento. De 129 países com dados disponíveis, 57 têm sérios níveis de desnutrição e sobrepeso entre adultos.
O relatório mostrou que tal situação provoca perdas de 11% do Produto Interno Bruto (PIB) a cada ano em países da África e da Ásia, enquanto a prevenção da má nutrição entrega retornos de 16 dólares para cada 1 dólar gasto.
“Os países do mundo entraram em acordo sobre metas para a nutrição, mas apesar de algum progresso nos últimos anos, o mundo está fora do caminho de atingir tais objetivos”, disseram os pesquisadores no documento
O relatório destacou a evolução do Brasil no tema da desnutrição. O país é apontado como um dos melhores exemplos de como uma nação pode construir “um forte compromisso político com a nutrição”.
“Depois de instituir uma série de estratégias implementadas por meio de políticas públicas, o Brasil tem experimentado transformações estruturais que mudaram drasticamente o cenário nutricional do país”, disse o relatório.
Segundo o documento, o Brasil avançou em questões como amamentação, cuja taxa era de 2% em 1986 e passou a 39% em 2006. O país também reduziu as taxas de nanismo de 19% em 1989 para 7% em 2007, enquanto as taxas de desperdício estão baixas, por volta de 2%.
Em 2014, o país conseguiu erradicar a fome, lembrou o documento.  Algumas mudanças, no entanto, foram negativas: as taxas de sobrepeso e obesidade estão altas (atualmente 54% e 20%, respectivamente) e crescentes. As taxas de anemia estão em 20%, e a insegurança nutricional e alimentar permanece um problema para comunidades específicas.
Créditos: ONU

São Paulo terá loja com produtos da agricultura familiar e orgânicos

A cidade de São Paulo ganhará no sábado (30) uma loja de produtos agroecológicos oriundos da agricultura familiar. Sediado no bairro de Campos Elíseos, região central da capital, o Armazém do Campo reunirá itens vindos de assentamentos da reforma agrária ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
O espaço deve centralizar a distribuição da produção orgânica do movimento social. 

“O Armazém do Campo surge como alternativa de oferta dessa produção em um momento em que o público está cada vez mais preocupada com o tipo de alimento que coloca em suas mesas”, afirmou Rodrigo Teles, coordenador executivo da loja.
Em nota, o MST alerta para um momento de crise alimentar no Brasil: “O país, hoje, é o maior consumidor de agrotóxicos do planeta – são ingeridos em média 5,2 quilos de veneno agrícola por habitante”. Para a organização, há uma procura maior a feiras de produtos orgânicos. Em outubro, o próprio movimento realizou com sucesso a 1ª Feira Nacional da Reforma Agrária, que reuniu cerca de 800 produtores no Parque da Água Branca, zona oeste da capital – onde também funciona às terças, sábados e domingos um tradicional ponto de venda de produtos agroecológicos.
O modelo de agricultura familiar, além de trazer benefícios dos produtos livres de venenos, pode auxiliar na geração de emprego e renda, além de tornar mais eficaz a distribuição de alimentos. De acordo com a Agência da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO-ONU), a produção mundial anual de alimentos é suficiente para alimentar toda a humanidade, entretanto, uma em cada sete pessoas do mundo ainda passa fome.
O projeto de agroecologia idealizado pelo MST na forma do Armazém do Campo iniciará suas atividades com um evento reunindo programas culturais e gastronômicos durante o sábado. O endereço é Alameda Eduardo Prado, 499. O local abre as portas a partir das 10h.
Créditos: Rede Brasil Atual

Dilma entrega nesta quinta defesa de fase intermediária do impeachment

A defesa da presidente afastada Dilma Rousseff tem até as 18h30 desta quinta-feira (28) para entregar as alegações finais da petista na fase intermediária do processo de impeachment. O documento será entregue à comissão especial do Senado que analisa o caso.
O prazo inicial para entrega das alegações finais se encerrava nesta quarta-feira (27). No entanto, o presidente da comissão, Raimundo Lira (PMDB-PB), concedeu, a pedido da defesa, mais um dia para o envio das considerações finais. O advogado de Dilma, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, solicitou mais prazo porque o site do Senado, onde estão disponibilizados documentos do processo, ficou indisponível no final de semana.
Segundo apurou o G1, nas alegações finais, a defesa de Dilma vai tentar reforçar a tese de que a petista não cometeu crime de responsabilidade ao praticar as “pedaladas fiscais” – atraso de pagamentos da União para bancos públicos nos subsídios concedidos a produtores rurais por meio do Plano Safra – e ao editar decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional.
Para isso, os advogados da petista vão incluir, nas alegações finais, o recente pedido do Ministério Público do Distrito Federal para que a Justiça Federal arquive uma investigação aberta para apurar se houve crime em operações de crédito feitas por autoridades do governo da presidente afastada Dilma Rousseff nas chamadas "pedaladas fiscais".
Para o procurador da República Ivan Cláudio Marx os atrasos de pagamentos não configuraram crime por não se tratarem de operações de crédito. A acusação tem dito que as pedaladas são empréstimos bancários, o que é vedado pela Lei de Responsabilidade Fiscal e, por isso, caracterizam crime de responsabilidade.
No entanto, no despacho, Marx afirma que as operações configuram improbidade administrativa porque tinham a intenção de melhorar artificialmente as contas públicas da União em período eleitoral, configurando, assim, improbidade administrativa, um delito civil.
Desvios
Outro elemento que será explorado pela defesa é uma declaração da líder do governo no Congresso, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), à Rádio Itatiaia de Minas Gerais, na qual ela afirma que o afastamento de Dilma não aconteceu por causa de “pedaladas”, mas por falta de apoio político e popular.
“Por que o governo saiu? Na minha tese, não teve esse negócio de pedalada. O que teve foi um país paralisado, sem direção e sem base nenhuma para administrar. A população não queria mais, e o Congresso não dava a ela os votos necessários para tocar nenhuma matéria. O país não podia ficar parado”, disse a senadora.
Com a inclusão da declaração, a intenção da defesa é demonstrar que houve desvio de finalidade na abertura do processo de impeachment.
Além disso, para dar corpo à tese de desvio de poder, os advogados vão citar o discurso de renúncia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) à presidência da Câmara dos Deputados. O peemedebista afirmou que abrir o processo de impeachment foi “um ato de coragem que teve a Câmara” sob o seu comando.
“Não tenho dúvidas, inclusive, de que a principal causa do meu afastamento reside na condução desse processo de impeachment”, completa a carta de Cunha.
Das alegações finais, deverão constar ainda trechos das gravações feitas pelo ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado. Nos áudios, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) sugere um “pacto” da classe política para estancar a sangria causada pela operação Lava Jato, na qual é investigado. Esse esquema, segundo a defesa, passaria pela destituição de Dilma do governo.
Cronograma
Na fase intermediária do processo, chamada de "pronúncia", o colegiado ouviu os depoimentos de testemunhas, solicitou documentos para produção de provas, realizou perícia e acompanhou a leitura da defesa pessoal da presidente afastada.
As alegações finais da acusação já haviam sido entregues no último dia 12. No documento, os juristas Hélio Bicudo, Janaína Paschoal e Miguel Reale Júnior voltaram a afirmar que Dilma cometeu crime ao editar decretos de crédito suplementares e ao praticar “pedaladas”.
Depois das alegações da defesa, abre-se o prazo para elaboração do parecer do relator do caso na comissão especial, Antonio Anastasia (PSDB-MG). O parecer, que deverá ser concluído na próxima segunda-feira (1º) e lido ao colegiado na terça-feira (2), deverá dizer se Dilma deve ou não ir a julgamento final.
Veja os próximos passos da fase intermediária do impeachment:
– Quinta-feira (28/7): Entrega das alegações finais da defesa de Dilma Rousseff;
– De 29/7 a 1º/8: Período para elaboração do parecer do relator Antonio Anastasia;
– Terça-feira (2/8): Leitura do parecer na comissão especial;
– Quarta-feira (3/8): Senadores do colegiado discutem o parecer;
– Quinta-feira (4/8): Votação do parecer na comissão;
– Sexta-feira (5/8): Leitura do parecer no plenário principal do Senado;
– Terça-feira (9/8): Início da discussão e votação do parecer no plenário (sessão pode se estender pela madrugada de quarta-feira (10/8).
Julgamento final
Se, na sessão que terá início no dia 9 de agosto, o plenário principal do Senado aprovar, por maioria simples, eventual parecer dizendo que a denúncia contra a petista é procedente, Dilma vai a julgamento final.
Deverá, então, ser concedido um prazo aos autores da denúncia para que apresentem, em até 48 horas, uma peça chamada, no jargão jurídico, de libelo, que nada mais é do que uma consolidação das acusações e provas produzidas. Eles também deverão apresentar um rol de testemunhas.
Em seguida, a defesa terá 48 horas para apresentar uma resposta, a contrariedade ao libelo, e também uma lista de testemunhas.
Todo o processo é encaminhado para o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, a quem caberá marcar uma data para o julgamento e intimar as partes e as testemunhas. Deverá ser respeitado um prazo mínimo de dez dias para se marcar o julgamento.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), já disse em entrevista a jornalistas que o julgamento final deverá ter início entre os dias 25 e 27 de agosto, e pode ter de quatro a cinco dias de duração, com intervalos entre um dia e outro.
Créditos: WSCOM

Vacina brasileira contra a dengue será oferecida em 2018

A vacina contra a dengue produzida pelo Instituto Butantan, de São Paulo, deverá ser disponibilizada aos brasileiros a partir de 2018. O produto está passando por sua terceira e última fase de testes, agora com seres humanos, em 14 centros do Brasil. O Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) sediará a pesquisa na região Sul. Mil voluntários de 18 a 59 anos participarão do estudo no Estado.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, veio ao Rio Grande do Sul acompanhar o início da vacinação. "A dengue, como toda doença virótica, é de tratamento muito difícil. Portanto, o caminho é a prevenção, através da vacina", observa. Essa poderá ser a primeira vacina contra a dengue do mundo a combater os quatro sorotipos da doença em uma única dose.
Dezessete mil pessoas serão vacinadas voluntariamente em todo o Brasil. Dessas, dois terços receberão a imunização e um terço receberá placebo (doses sem o medicamento). Depois, será feita a análise da resposta imunológica. Os pacientes serão monitorados por pelo menos cinco anos, mas até 2018 já deverá ser possível ter essa resposta e começar a fabricação industrial. "Estamos otimistas, pois o Instituto Butantan é o maior centro soroterápico da América Latina. Poderemos concluir o trabalho em menos de um ano e, aí, todos os países tropicais e subtropicais poderão ter essa tecnologia brasileira", afirma Alckmin.
O custo do projeto será de R$ 300 milhões, sendo R$ 100 milhões de recursos federais e R$ 200 milhões através de financiamento junto ao Bndes e à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Nas fases 1 e 2, foi identificada eficácia das vacinas acima de 80%. Daqui a seis meses, um grupo internacional de pesquisadores mostrará se os dados, do ponto de vista estatístico, se confirmam na fase 3.
"Se for confirmado, passaremos para a etapa de produção, quando a fábrica do Butantan estiver pronta, daqui a um ano", relata o secretário estadual de Saúde de São Paulo, David Ewerson Uip.
Além de ser usada pelo Ministério da Saúde, a vacina será comercializada internacionalmente. A população-alvo envolve 2 bilhões de pessoas no mundo. "Pela primeira vez na história do Brasil, há uma inversão de tecnologias. Normalmente, os medicamentos surgem no hemisfério Norte e vêm para o Sul. Desta vez, irão do Sul para o Norte, graças à competência do Butantan", destaca Uip.
O secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, João Gabbardo, teme que a população deixe de lado a prevenção com a vacina. "Se relaxarmos na prevenção, teremos um aumento de casos de zika vírus e febre chikungunya, transmitidos pelo mesmo vetor."
A imunização poderá ser aplicada inicialmente em pessoas de dois a 59 anos. A restrição etária é menor do que a vacina que está sendo comercializada no Brasil, do laboratório francês Sanofi Pasteur, que só pode ser aplicada em pessoas de 9 a 45 anos. Além disso, a vacina testada pelo Butantan necessita de dose única, enquanto a francesa precisa de três doses, e a eficácia estimada do produto brasileiro está acima de 80%, contra 50% a 60% da Sanofi Pasteur.
Créditos: Jornal do Comércio

OMS diz que hepatite atinge 400 milhões de pessoas em todo o planeta

hepatite
O Dia Mundial da Luta contra as Hepatites Virais, celebrado hoje (28) com ações de prevenção, foi criado para informar sobre a doença e aumentar o acesso aos testes e tratamento da hepatite, inflamação no fígado que pode ser causada pelos vírus A, B, C, D e E.
Considerada um problema mundial de saúde pública, a hepatite pode levar a problemas hepáticos graves causando a morte. A estimativa da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) é de que no país há entre 1,5 milhão e 2 milhões de pessoas com hepatite, mas só cerca de 300 mil sabem que têm a doença
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que – em todo o planeta - 400 milhões de pessoas estejam infectadas pelos vírus da hepatite B e C, número dez vezes maior que o de pessoas contaminadas pelo HIV, mas a maior parte dos portadores sequer sabe que está doente. Segundo a OMS, apenas uma em cada 20 pessoas com hepatite viral sabe que está doente e só uma em cada 100 com a doença está recebendo tratamento.
No Brasil, a situação não é diferente. Segundo o Ministério da Saúde, milhões de brasileiros são portadores do vírus B e C e não sabem. Além do risco que correm se a doença evoluir e causar danos irreversíveis ao fígado, como cirrose e câncer, os infectados também podem transmitir a doença para outras pessoas.
O diretor de Comunicação da SBI,  infectologista David Urbaez, explicou que as hepatites costumam ser silenciosas e a falta de sintomas pode retardar a busca por tratamento, o que agrava o quadro da doença. “O modelo de doença faz com que a pessoa não fique sabendo e não procure ajuda médica, pois não apresenta sintomas. A maior parte dos diagnósticos ocorre já na cirrose, aí se faz redução de danos, mas é irreversível”.
Urbaez também alertou para a necessidade de os médicos se habituarem a pedir o exame com maior frequência. Ele esclareceu que, em poucos casos, as pessoas ficam com os olhos e pele amareladas, sintoma comumente atribuído à doença.
“Isso só ocorre em casos de hepatite aguda sintomática, que acomete um percentual muito pequeno de pacientes”, disse. Quando aparecem, os sintomas podem incluir urina escura, fezes claras, dor abdominal, tontura, enjoo, vômito, cansaço, febre e mal-estar.
Teste gratuito
A rede pública de saúde de diversos municípios, entre eles Brasília, São Paulo, Fortaleza, Vitória, está fazendo campanhas neste mês, batizado de “julho amarelo”, com a disponibilização de testes rápidos para os tipos mais comuns da doença em locais de grande circulação.
A orientação da SBI é que todos os adultos façam o teste da doença, especialmente o tipo C, disponível gratuitamente na rede pública de saúde de todo o país. “A gente enfatiza a hepatite C porque, no momento, ela é a que a gente acredita ser a que tem o maior número de pessoas que desconhecem que são portadoras”, explicou.
O infectologista informou, ainda, que o tratamento para a hepatite C dura até 12 semanas e é gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo ele, o índice de cura é acima de 90%.
David Urbaez disse que, “via de regra, as hepatites virais regridem sozinhas”. Mas caso isso não ocorra, quanto antes for diagnosticada, mais eficiente será o tratamento. No caso da hepatite C, a deterioração do fígado vai acontecendo ao longo de décadas, de forma bem gradual, e, quando surge a manifestação clínica, o fígado já está muito deteriorado e pode ter entrado em cirrose, um processo que, de forma progressiva, altera a “arquitetura do fígado” de forma irreversível.
Hepatites virais
A hepatite é a inflamação do fígado. Pode ser causada por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas ou pelo uso de remédios, álcool e outras drogas, mas os tipos mais comuns são causados pelos vírus A, B, C, D e E.
O Ministério da Saúde orienta que as pessoas observem se já se expuseram a situações que apresentam risco de contágio, e, assim, saber se há a necessidade de fazer exames. Viver em situações precárias de saneamento básico, água e higiene pessoal e de alimentos leva ao risco do contágio fecal-oral, que transmite as hepatites A e E. Quem tem hepatite A ou E pode se curar, eliminando o vírus do organismo.
Praticar sexo sem proteção, compartilhar seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam pode causar contaminação pelos vírus B,C e D, transmitidos pelo sangue. Esses tipos também podem passar da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação.
As hepatites B, C e D podem apresentar tanto formas agudas quanto crônicas de infecção quando a doença persiste no organismo por mais de seis meses. O Ministério da Saúde informa que, no caso das hepatites B e C, é preciso um intervalo de 60 dias para que os anticorpos sejam detectados no exame de sangue.
Para saber mais como se prevenir dos diferentes tipos de hepatites virais, acesso o site do Ministério da Saúde que trata do tema.
Vacinação
A vacina de hepatite A foi introduzida no calendário infantil em 2014, para crianças de 1 a 2 anos de idade. O Sistema Único de Saúde disponibiliza gratuitamente a vacina contra a hepatite B em qualquer posto de saúde para pessoas de até 49 anos.
A imunização é feita em três doses, e só é efetiva quando a vacina é tomada com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose. Não existe vacina contra a hepatite C.
A hepatite D depende da hepatite B para ocorrer, portanto, vacinar contra o tipo B previne o tipo D. A hepatite E tem ocorrência rara no Brasil e não há vacina disponível para a doença.
Créditos: Agencia Brasil

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Beneficiários de auxílio-doença começam a ser chamados para “revisão”

Na esteira da crise e do ajuste fiscal, está prevista para agosto um mutirão de revisão de benefícios de auxílio-doença concedidos pelo governo há mais de dois anos. Técnicos do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vão ter que fazer horas extras para dar conta da meta do governo Temer: revisar 100 mil benefícios mensais. Os mais jovens devem ser chamados primeiro. As informações são do Ministério do Trabalho e da Previdência Social.


A revisão, que vai determinar se o beneficiário já está apto a voltar ao trabalho, foi determinada pela Medida Provisória nº 739, publicada no começo do mês no Diário Oficial. A medida prevê também o cancelamento imediato do benefícios concedidos há mais de 4 meses, nos casos em que não foi estabelecido um prazo de duração.
Os segurados vão receber um comunicado oficial e não precisarão procurar agências do INSS, mas quem tem benefício sem data fixada para o término, deve agendar uma nova perícia com 15 dias de antecedência do vencimento. Por esse motivo, a nova medida prevê que, sempre que possível, os pedidos tenham uma data limite para concessão.
Ainda, a medida estabelece que o beneficiário que for considerado inapto para se recuperar para a atividade habitual, deverá submeter-se a processo de reabilitação profissional para garantir a sua subsistência. Se sua condição for considerada “irrecuperável” para outra atividade, deverá se aposentar por invalidez.
Em uma segunda etapa da revisão, prevista para o ano que vem, serão revistas as aposentadorias por invalidez, mas quem tem mais de 60 anos vai ficar de fora. Segundo dados do governo, hoje o País possui 3 milhões de aposentadorias concedidas há mais de dois anos sem revisão. As despesas somam R$ 3,6 bilhões.
Ainda, a medida muda lei da previdência social e estabelece que qualquer beneficiário poderá ser convocado a qualquer momento para revisão do benefício. Para conferir todas as alterações feitas na lei, confira o texto da lei nº 8.213, de 24 julho de 1991, que regulamenta os benefícios da Previdência Social.
A medida vem na esteira de outras que visam o ajuste fiscal e a reforma da Previdência Social. Elas não são novas. A perda de direitos começou com mais força no Brasil no fim de 1993, com a perda de vários direitos, como a extinção do abono a retirada do 13º. salário do cálculo da média do valor da aposentadoria. Desde então, essa foi a tendência.  No governo Dilma, as MPs nº. 664 e 665, editadas ao final de 2014, fixaram uma série de alterações nas regras para o acesso aos benefícios: seguro-desemprego, abono salarial, seguro-defeso, pensão por morte, auxílio-doença e auxílio-reclusão.
Resumindo, o INSS passou a fazer duas contas. Primeiro, faz a conta desde julho de 1994; depois, faz a conta com a média das 12 contribuições. O valor que será pago é o menor. Fontes: revidência Social, Portal Brasil, Ministério do Trabalho e da Previdência Social e “Reforma da Previdência Social no Brasil” Foto: EBC
Créditos: Brasileiros