Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Casamento terminou em morte de 25 pessoas


arábia saudita explosão

Um total de 25 pessoas morreu por choque elétrico e mais 30 ficaram feridas durante um casamento na Arábia Saudita, informa o canal Al-Arabiya. O incidente ocorreu na aldeia de Ain Badr. A maioria das vítimas são mulheres e crianças.

Durante as celebrações, um dos convidados, expressando sua alegria, começou a atirar no ar e atingiu um cabo de alta tensão. As faíscas provocaram um incêndio, enquanto uma parte do cabo tocou a porta. Escapando do incêndio, as pessoas correram para a porta mas, em vez de se salvar, foram mortas por choque elétrico.VOZ DA RÚSSIA

Sanduíche com presunto e queijo provoca doenças graves


sanduíche

Apenas um sanduíche com ovo, presunto e queijo, comido ao pequeno-almoço, pode provocar doenças graves, afirmam cientistas canadenses.

Estudando a influência de sanduíches ricos em gordura na saúde de voluntários, os cientistas descobriram que comer estes produtos ao pequeno-almoço complica a atividade de vasos sanguíneos até ao almoço. Para além disso, comer sanduíches de alto teor calórico diariamente pode provocar aterosclerose.
Este estudo lembra-nos que nossos hábitos alimentares são a base da prevenção de doenças cardiovasculares

Sandy deixa mais de 30 mortos nos Estados Unidos


Furacão Sandy provocou a morte de mais de 30 pessoas nos Estados Unidos, segundo informações da agência de notícias de Portugal, Lusa. As últimas vítimas foram identificadas em Maryland e na Virgínia. Há relatos de mortes em Connecticut, Nova Jersey, na Pensilvânia e na Virgínia Ocidental. Calcula-se que mais de 8 milhões de pessoas estão sem luz no país.
O Centro Nacional de Furacões norte-americano divulgou que o ciclone Sandy se aproxima de Pittsburgh, no Estado da Pensilvânia, com previsão de tempestades, nevascas e enchentes, conforme informações da agência BBC Brasil. De acordo com o centro, Sandy está em direção ao noroeste do país e deve chegar ao Canadá amanhã (31).
Em visita à representação da Cruz Vermelha em Washington, o presidente Barack Obama elogiou o trabalho de resgate e alertou que partes do país ainda enfrentam inundações e ventos fortes. "A tempestade ainda não desapareceu," disse. Obama determinou a simplificação na liberação de ajuda às áreas afetadas. “Quero que ultrapassem a burocracia, não há desculpas para a inação numa situação como esta. Todas as agências [governamentais] devem ter atitude ativa”.
Fechada há dois dias, a Bolsa de Nova York, a mais importante do mundo, irá reabrir amanhã (31). Segundo comunicado, o prédio onde são feitas as transações do mercado está intacto, e não sofreu inundações ou danos em decorrência da tempestade. Desde 1888, a Bolsa de Nova York não funcionava por dois dias consecutivos.
A cidade de Nova York é uma das mais afetadas pela tempestade. Pela cidade, os estragos e danos causados pela tempestade são inúmeros – árvores arrancadas, carros debaixo d`água e prédios inundados. Milhares de pessoas deixaram suas casas e estão em abrigos municipais.
Leia mais em EBC

Álcool capaz de matar é achado em 37% das bebidas


Em mais da metade de uma amostra de 65 bebidas coletadas com produtores, vendedores e consumidores das cidades de São Paulo e Diadema (SP) constatou-se a existência de substâncias nocivas à saúde humana. A presença de metanol – um álcool tóxico que pode até matar – foi detectada em 37% das cachaças, licores, vinhos, conhaques e uísques analisados. Em 11 bebidas, as concentrações de cobre estavam acima de 5 mg/l, limite estabelecido por lei.
O estudo, realizado pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas da Universidade Federal de São Paulo (Cebrid-Unifesp), faz parte de um levantamento internacional que abrange o consumo de álcool clandestino. Ambos os estudos são financiados pela International Center for Alcohol Policies (Icap), ONG americana vinculada à indústria da bebida. Os resultados serão divulgados nesta terça-feira, pela primeira vez no Brasil, durante conferência em São Paulo.
“A pesquisa, inédita, que durou dois anos, envolve países como Brasil, China, Índia, México e até o Sri Lanka”, afirma o médico e professor da Unifesp Elisaldo Carlini, um dos coordenadores do levantamento do Cebrid.
A maioria das amostras das bebidas foi coletada em São Paulo (69%), especialmente com vendedores. Porcentagem ainda maior (81%) declarou que sabia que as bebidas vendidas eram ilegais. O restante da amostra é procedente de Diadema, cidade onde o Cebrid possui um núcleo de pesquisas.
Depois de passarem por quatro análises químicas – entre as bebidas, 65% eram cachaças artesanais e 10%, licores -, constatou-se que apenas 8 das 65 amostras eram registradas no Ministério da Agricultura e muitas apresentavam grande concentração de água e alto teor de acidez (pH maior que 5).
Nas amostras de cachaça, o valor do etanol estava abaixo do adequado (40%). E em 24 amostras foi comprovada a existência de metanol. “Nenhuma concentração [DE METANOL]deveria estar presente. Dependendo da quantidade ingerida, pode levar até a morte por intoxicação”, afirma Vânia Viana, pesquisadora da Unidade de Dependência de Drogas da Unifesp. Além disso, das 11 amostras de cachaça com alto teor de cobre, em 1 delas a concentração ultrapassa em 5 vezes o estabelecido por lei. [DE METANOL]“O excesso de cobre acaba fazendo dele um agente agressor do organismo”, diz a nutricionista Camila Leonel.
Outro dado levantado por essa pesquisa é que em parte dos produtores foi constatado que o processo de engarrafamento é feito sem o uso de técnicas de assepsia.
Controle. De acordo com Luiz Alberto Chaves, coordenador da Coordenação de Políticas sobre Drogas (Coed) do governo de São Paulo, “a falta de estatísticas oficias sobre a produção e o consumo de álcool ilegal tem impacto na elaboração de políticas públicas da área”. Em nota, o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) informa que apura periodicamente todas as denúncias de bebidas alcoólicas sem registro. 
As informações são do jornal O Estado de S.Paulo e Focando a Notícia

Seca provoca cenário desolador no sertão


A falta de chuva secou açudes, prejudicou lavouras, transformou a paisagem. Na propriedade de José Neto, em Pedra Branca, no sertão do estado, a vegetação que servia de alimento para o gado, secou. Sem ter como sustentar os animais, ele tentou vender o rebanho de 30 cabeças, mas só conseguiu negociar os animais que estavam em melhor estado.
Os que restaram, procuram tirar dali mesmo algum alimento, sem sucesso. O criador diz nunca ter sentido de maneira tão severa os efeitos de uma seca. “É muito triste ver um animal com fome e não ter condições de salvá-lo”.
A maioria dos pequenos criadores da região vive situação semelhante na região do Vale do Piancó. Por causa disso, é comum ver cenas de verdadeiros cemitérios de animais a céu aberto.
Às margens da rodovia, dezenas de animais mortos estão espalhados pelo caminho. Para conseguir andar é preciso desviar de ossos e carcaças que restaram.
Para não perder mais nenhum animal, Daniel Carvalho, de 61 anos, luta para manter o resto do rebanho. Ele começa bem cedo, prepara a carroça e saí em busca de mandacarú, uma planta típica do semiárido nordestino e resistente à seca. Na propriedade, ele queima os espinhos e tritura, depois mistura com farelo de galhos secos e serve para os animais. O rebanho magro e faminto não perde tempo.
Sem a principal fonte de renda, os criadores estão sobrevivendo do Bolsa-Família, benefício do Governo Federal.
Preocupado com a situação dos moradores da zona rural, o padre do município, Djacir Brasileiro, teve a ideia de publicar fotos e relatos na internet. Ele pretende chamar atenção para o drama vivido pelos sertanejos.
Focando a Notícia

Genoino deve assumir cadeira na Câmara


O prefeito eleito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT), dará lugar na Câmara dos Deputados a José Genoino – ex-presidente do PT condenado no último dia 9 pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção ativa e passiva durante o julgamento do mensalão.
Segundo a liderança do PT na Câmara dos Deputados, Genoino é o segundo suplente mais votado da coligação do PT nas eleições de 2010. O primeiro suplente, Wanderlei Siraque, assumiu cadeira há um ano quando o deputado Aldo Rebelo (PCdoB) foi nomeado ministro do Esporte.
“A condenação [de Genoino] ainda não foi publicada pelo STF no Diário da Justiça. Por isso, ele ainda está apto”, afirmou ao G1, Marcos Braga, chefe de gabinete da liderança do PT na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF).
"Se até lá a condenação for publicada é preciso ver a constituição para saber se ele poderá ou não assumir. Tem algumas coisas que o deputado pode ou não desde a diplomação ou desde a posse. Ele já foi diplomado, por isso ainda não se sabe o que vai acontecer caso a publicação da condenação ocorra até janeiro", disse Braga.
Genoino não foi reeleito nas eleições de 2010 após cinco mandatos como deputado federal. Neste ano, Genoino atuou como assessor especial do Ministério da Defesa e pediu demissão do cargo há cerca de 30 dias. Atualmente, ele tem direito a aposentadoria como parlamentar.
São José
A assessoria do Carlinhos Almeida informou que ele cumprirá o mandato de deputado federal até o prazo máximo permitido por lei – 31 de dezembro. A assessoria também informou que a 'permanência de José Genoino como deputado federal depende do ministro Aldo Rebelo e não do futuro prefeito de São José'. Segundo a assessoria de Carlinhos, como Wanderlei Siraque é o primeiro suplente da coligação do PT caso Aldo Rebelo volte para a Câmara será Siraque que assumirá a cadeira de Carlinhos.
O G1 tentou localizar o ex-deputado José Genoino. A assessoria nacional do partido informou que o político está sem assessoria própria. O G1 procurou o deputado através de seu telefone particular, mas não conseguiu contato.
WSCOM Online

Haddad e Kassab iniciam diálogo por transição

Em primeiro encontro, Haddad e Kassab iniciam diálogo por transição de 'alto nível'
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), recebeu na tarde de hoje (30), em seu gabinete, o prefeito eleito pelo PT, Fernando Haddad, que na manhã do mesmo dia já havia visitado o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB). 
O objetivo da reunião entre Kassab e Haddad é “dar curso a uma transição de alto nível”, segundo o petista. O encontro serviu para dar início às “tratativas, que vão durar os próximos dois meses”. O atual prefeito reservou para a equipe do eleito uma sala no palácio, localizado no centro da cidade. A equipe petista terá também um escritório cedido pela Caixa Econômica Federal no centro de São Paulo.
“Estamos em condições ótimas de promover um entendimento tranquilo, assegurando ao povo de São Paulo que venceu a democracia, e agora é a união de esforços em torno de um plano de governo que foi aprovado e tem de se transformar em realidade”, afirmou Haddad ao lado de Kassab. “Concluo visitas que reputo muito importantes para a cidade, à presidenta Dilma, ao governador Alckmin e agora ao prefeito Kassab”, disse também.
“Quero registrar minha alegria como prefeito, como cidadão, de estar recebendo aqui pela primeira vez o prefeito [eleito] de São Paulo, que em algumas semanas estará neste prédio exercendo o seu cargo”, disse Kassab. Declarou também que seu sentimento é o “de todos os milhões de brasileiros que votam em São Paulo” e que a cidade “com certeza estará em ótimas mãos”.
Gilberto Kassab ressaltou estar “ratificando publicamente a minha disposição não apenas no período de transição, mas depois, ao longo do seu governo, de contribuir onde ele [Haddad] entender que seja necessário, para que ele possa alcançar os objetivos que definiu como prioritários pra cidade de São Paulo”, e vaticinou: “Tenho certeza que daqui a quatro anos ele vai entregar uma cidade melhor.”
Perguntado se sua contribuição poderia se dar na Câmara Municipal, por exemplo, Kassab desconversou. “Não vou responder perguntas agora, não é uma coletiva. Estou à disposição diariamente de vocês, acho que não é o local adequado”, disse, passando a palavra a Haddad.
“Vamos promover uma transição com tranquilidade, sem nenhum tipo de solavanco, com os serviços públicos sendo prestados”, garantiu o petista. “Pretendo manter os programas da prefeitura de São Paulo que vêm correspondendo aos anseios da população, e obviamente executar o plano que foi apresentado à cidade durante as eleições”, acrescentou. “Tenho certeza de que vou sempre contar com a boa vontade do prefeito Kassab, que, como todo prefeito de São Paulo, deseja o bem da cidade. Vai ser uma transição republicana, de alto nível, as equipes vão se constituir, começar a conversar.”  
O vereador Antonio Donato (PT), coordenador da campanha vitoriosa e também da equipe de transição de Haddad, disse que a meta agora “é garantir, da nossa parte e da parte do prefeito Kassab, que a cidade não sofra nenhuma descontinuidade”. De acordo com ele, a agenda municipal tem questões conhecidas no início do ano que precisam entrar na pauta das discussões de transição. “Existem problemas de enchente, o carnaval para ser organizado, questões que, se não começarmos a discutir agora, terão descontinuidade administrativa”, explicou.

Negociações políticas

Perguntado se um eventual apoio da bancada do PSD de Kassab poderia resultar na defesa, por parte do novo governo, de legados da gestão que está terminando ou se há possibilidade de ceder em alguns pontos defendidos na campanha, como fiscalização de obras e a questão da Controlar, empresa investigada por irregularidades no contrato da inspeção veicular, Donato negou. “O que foi defendido na campanha foi sufragado pelos eleitores. E é isso que vale”. 
Sobre o diálogo com o Legislativo, disse que “as propostas serão apresentadas à Câmara Municipal. O que for de iniciativa do Executivo será feito pelo Executivo. Foi aprovado um programa pelo eleitor e ele será posto em prática”. Segundo Donato, discussões com os partidos, em especial o PSD, não estão em pauta no momento. “Temos até a nova legislatura dois meses que serão de intensas conversas com todas as forças políticas da Câmara, no sentido de permitir que o prefeito Haddad possa ter maioria na Câmara para apresentar e aprovar seus projetos que foram defendidos na eleição.”
Donato garantiu que o objetivo da reunião de hoje foi estritamente tratar da transição e acrescentou que o trabalho de transição não vai influenciar a escolha de nomes de secretários do futuro governo municipal. “Não, é completamente independente.” 
Seu interlocutor na gestão de Kassab durante a transição será o secretário de Governo, Nelson Harvey.
Rede Brasil Atual

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Cientistas britânicos criam exame barato para detectar câncer e Aids


Pesquisadores britânicos desenvolveram um novo exame mais barato que pode detectar diferentes vírus e também alguns tipos de câncer.
O exame ainda é um protótipo e revela a presença de uma doença ou de um vírus -- mesmo em pequena quantidade no corpo -- usando um sistema de cores. Um químico desenvolvido pelos cientistas muda de cor quando entra em contato com o sangue do paciente.
Se um determinado componente da doença ou vírus estiver presente, o reagente químico fica azul. Caso não haja doença ou vírus, o líquido fica vermelho.
A pesquisa do Imperial College de Londres foi divulgada na revista especializada "Nature Nanotechnology".
HIV e câncer de próstata
Molly Stevens, do Imperial College, disse à BBC que o novo método "deve ser usado quando a presença de uma molécula-alvo em uma concentração ultrabaixa possa melhorar o diagnóstico da doença".

"Por exemplo, é importante detectar algumas moléculas em concentrações ultrabaixas para verificar a reincidência de câncer depois da retirada de um tumor".
"Também pode ajudar no diagnóstico de pacientes infectados com o vírus HIV cujas cargas virais são baixas demais para serem detectadas com os métodos atuais", acrescentou.
Os primeiros testes do novo exame mostraram a presença dos marcadores para HIV e câncer de próstata. No entanto, serão necessários testes mais amplos antes que o novo exame possa ser usado.
Os pesquisadores do Imperial College de Londres esperam que o novo exame custe dez vezes menos que os exames já disponíveis e, segundo eles, isto será importante em países onde as únicas opções de exames para HIV e câncer são muito caras.
"Este exame pode ser significativamente mais barato (...), o que pode abrir caminho para um uso maior de exames de HIV em regiões mais pobres do mundo", afirmou Roberto de la Rica, pesquisador que participou o desenvolvimento do novo exame.
WSCOM Online

Cientistas tentam criar espermatozoide humano com células-tronco


Pesquisadores americanos esperam criar espermatozoides humanos a partir de células-tronco prontos para uso em tratamentos de reprodução assistida.
Espermatozoide e óvulo (arquivo BBC)Renee Pera, pesquisadora da Universidade de Stanford, na Califórnia, diz que o objetivo das pesquisas atuais é criar espermatozoides dentro de dois anos e óvulos humanos dentro de cinco anos. "Sei que as pessoas pensam que é medicina Frankenstein, mas acredito que (a infertilidade) não seja um problema de saúde menor - a infertilidade afeta toda sua vida", disse.
"Manter relações sexuais e ter um bebê parece ser uma decisão muito simples, mas ela não está ao alcance de todos", acrescentou.
Segundo estimativas, a infertilidade afeta até 15% dos casais em idade reprodutiva em todo o mundo.
A equipe de Pera no Instituto para Biologia de Células-Tronco e Medicina Regenerativa usa células-tronco embrionárias, o que gera polêmica, pois embriões humanos são destruídos para que estas células sejam usadas. O laboratório usa embriões que sobraram em tratamentos de fertilização.

Embriões descartados

As células-tronco são capazes de se transformar em outros tipos de células do corpo humano - de células nervosas a células da pele, passando por músculos e rins, entre outros.
Criar óvulos e espermatozoides em um laboratório a partir destas células pode se transformar em um procedimento comum, segundo a pesquisadora.
Ela explica que mais de um milhão de embriões são criados por ano nos Estados Unidos em programas de fertilização in vitro e cerca de 500 mil destes embriões são descartados enquanto 500 são usados para pesquisas.
"E as pessoas se preocupam com estes 500 e não com os 500 mil descartados", disse a pesquisadora.
Os pesquisadores americanos prometeram aumentar seus esforços já que uma equipe da Universidade de Kyoto, no Japão, usou células-tronco de camundongos para criar óvulos e espermatozoides que foram fertilizados e produziram filhotes de camundongos.
O estudo japonês marca a primeira vez em que um mamífero foi gerado desta maneira e está sendo chamado de o Santo Graal da pesquisa com células-tronco com fins reprodutivos.
"Estamos revigorados. Parece que a cada dois anos algo acontece e todos se sentem revigorados", disse Pera a respeito da pesquisa japonesa.
"Estamos trabalhando principalmente no sistema (reprodutivo) humano para fazer a mesma coisa - fazer óvulos maduros e espermatozoides maduros."

Primitivos

O laboratório de Renee Pera já produziu espermatozoides e óvulos "primitivos", mas ainda não conseguiu criar células boas o bastante para serem usadas em reprodução humana.
"As células têm alguns problemas. Quando você pensa em biologia de células-tronco e medicina regenerativa, a maior parte das aplicações se voltam para a produção de grandes quantidades de células para, por exemplo, reparos cardíacos", afirmou a pesquisadora.
"Neste caso, estamos tentando criar uma célula que é perfeita. Um erro em um genoma pode levar a uma doença devastadora em uma criança."
Se os cientistas americanos conseguirem seus objetivos, eles poderão voltar o tempo no relógio biológico de mulheres e atender àquelas que adiaram os planos de gravidez para cuidar da vida profissional ou também mulheres que não podem engravidar por terem passado por tratamentos como, por exemplo, o câncer.

BBC Brasil

Furacão Sandy transforma Nova York em "cidade fantasma"


Nova York furacão Sandy EUA cidade-fantasma

Nova York amanheceu como uma cidade fantasma nesta segunda-feira.

Operações de prevenção contra o furacão Sandy, que deverá atingir a costa leste do país, causaram diversos transtornos.

De acordo com meteorologistas, a "Big Apple" poderá ser uma das áreas mais afetadas pela tempestade que já deixou mais de 40 mortos em sua trajetória por Cuba, Haiti e outras ilhas do Caribe. 

VOZ DA RÚSSIA

Teria Israel atacado o Sudão como treino para uma operação no Irã?


Israel míssil ataque Sudão Irã

No meio da semana, uma fábrica de armas foi bombardeada ou detonada, perto de Cartum, capital do Sudão. As autoridades desse país suspeitaram imediatamente de Israel, cujo governo, por sua vez, negou qualquer envolvimento na destruição da fábrica.

A mídia mundial tem sugerido que Israel teria sido perfeitamente capaz de levar a cabo tal operação com o objetivo de simular um ataque a alvos militares no Irã. Mas Jerusalém ainda não recebeu a aprovação de Washington para a guerra.
Os especialistas e jornalistas tiveram a ideia de um possível ensaio israelense para um ataque ao Irã depois de uma comparação geográfica básica. A distância entre a base da Força Aérea no sul de Israel e Cartum, no Sudão, é aproximadamente igual à distância entre as instalações secretas iranianas em Natanz e Fordo - 1800 km. Na verdade, se considerarmos a possibilidade do bombardeio israelense em Cartum, temos que nos lembrar que esta fábrica estava produzindo mísseis de curto e médio alcance. Se acredita que os principais compradores dessa produção são os grupos terroristasHamas e Hezbollah, que regularmente lançam ataques contra Israel. Isso é mais uma razão para Israel destruir a fábrica. O ministro da Informação sudanês, Ahmed Osman Bilal, disse na televisão nacional que o ataque foi realizado por quatro aeronaves militares, o que também é confirmado por moradores locais. No entanto, só duas pessoas morreram, o que é pouco para um ataque aéreo.
Não seria a primeira vez que a Força Aérea de Israel destrói alvos no Sudão. Em outubro, um avião não-tripulado da Força Aérea de Israel já havia bombardeado comboios que transportavam armas. Em dezembro de 2011, houve dois ataques a colunas palestinas. Em 2009, pilotos israelenses destruíram um comboio inteiro com armas, composto por 23 veículos. Assim, o exército israelense tem muito a fazer no Sudão.
Especialistas também duvidam de que Israel tenha escolhido este país norte-africano como alvo de treinamento. Em entrevista à Voz da Rússia, o presidente do Conselho Público do Ministério da Defesa da Federação Russa e editor-chefe da revista Natsionalnaia Oborona (Defesa Nacional), Igor Korotchenko:
"Eu não acho que tenha sido um ensaio de ataque contra o Irã, porque as condições geográficas de ataque contra o Sudão pela Força Aérea israelense ainda diferem do que temos no Irã."

São Paulo, plano diretor, 10 anos: uma criança maltratada

cabeçalho











Capaz de atrair olhares diferentes e conflitantes, o Plano Diretor Estratégico de São Paulo não foi uma criança morta no berço, como desejavam alguns, mas não teve o crescimento saudável que se poderia desejar. Aos 10 anos, é um menino maltratado por seus tutores, e dias felizes, raros, dependem de tios que o levam para um passeio dominical, para tristeza do pai Jorge Wilheim, arquiteto, urbanista e um dos mentores do projeto. "Minha maior satisfação é que o plano diretor perdura como lei: ele vale, conduz, conseguiu resultados positivos e trouxe inovações”, avalia. “O que me frustra, porém, é que o processo de planejamento foi paralisado na cidade.”
Sancionado há uma década pela prefeita Marta Suplicy (PT), o plano deveria ser a baliza das administrações municipais seguintes quanto a habitação, saúde, segurança, educação, transporte, uso do solo, enfim, tudo o que diz respeito à gestão pública local. Não é preciso ser um gênio para ver que o Plano Diretor, via de regra, restou esquecido: uma caminhada pelas ruas da maior cidade do país oferece exemplos de sobra a respeito do que foi feito e, especialmente, daquilo que se deixou de fazer em termos de planejamento urbano.
 Se São Paulo, que deveria ajudar a encontrar soluções inteligentes para problemas urbanos de um país desigual, não consegue cumprir o que foi acordado entre sociedade, poder público e empresariado, o que esperar do planejamento das cidades brasileiras em sua totalidade? Outra pergunta para a qual abundam respostas.
O início de século em São Paulo é o retrato de uma década perdida. Ou melhor, desperdiçada: um período de crescimento econômico, estabilidade e criação de empregos que poderia ter sido utilizado para promover na capital aquilo que lhe faltava, ou seja, diminuir assimetrias e promover desenvolvimento com qualidade de vida. Com população estimada pelo IBGE em 11,3 milhões de habitantes, 900 mil a mais que em 2000, o município deveria ter deixado há tempos a ânsia de expansão para priorizar o bem-estar.
Dinheiro não falta. Em 2002, a administração municipal tinha R$ 7,7 bilhões para investir. Este ano, são R$ 38 bilhões. Mas as prioridades continuam limitadas à lógica do governante de turno, ainda mais em um contexto em que os instrumentos de participação popular foram cortados, e as subprefeituras, instrumentos de diálogo com a população, desmontadas e entregues a militares reformados.
Tivesse seguido o Plano Diretor, São Paulo teria hoje mais corredores de ônibus e vias exclusivas. Mas as administrações José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (PSD) só agora iniciaram construções do gênero. Antes disso, optaram por abrir mais uma pista na Marginal do Rio Tietê, via que deveria ser expressa. O resultado final foram custos altos, árvores derrubadas, solo mais impermeabilizado e efeito limitado sobre o trânsito, que hoje já consegue engarrafar a nova via.
Na educação, o déficit no oferecimento de vagas em creches não foi resolvido. Amenizar o problema era outra exigência do Plano Diretor, um projeto de Estado – e não de governo. O que poderia ser um ponto positivo, os Centros de Educação Unificado (CEU), são um copo meio cheio – ou meio vazio? Existem 45 CEUs hoje na cidade, mas, do projeto inicial, de promoção da integração cultural e social da cidade, pouco resta. A universalização do atendimento de saúde, outro ponto previsto no Plano Diretor, tampouco se concretizou: nossos repórteres mostram áreas nas quais há um verdadeiro “buraco” de atendimento, ruas que ficam entre duas unidades de saúde e não são atendidas por nenhuma.
Passar à questão da ocupação do solo não oferece horizonte menos nublado. Aqui, talvez, nos deparamos com o ponto que mais afetou os paulistanos nesta década, com o exemplo mais bem acabado de como o crescimento econômico nacional não foi bem capitalizado pelos administradores paulistanos. Em vez de aproveitar o orçamento mais polpudo para garantir moradia adequada à população, a gestão municipal deixou a organização do espaço público ao sabor do mercado. O saldo final é dado pela Secretaria de Habitação de Kassab: 800 mil famílias na cidade vivem “sob algum tipo de inadequação”.
Bananal, Nova Divineia, Vila Pelé, Abacateiro, Campo de Fora: é preciso criatividade para nomear as favelas de São Paulo sem repetir os títulos. Na cidade, mais de 1,28 milhão de pessoas vivem em favelas e cortiços, segundo o Censo Demográfico de 2010. São 355.756 domicílios, muitos com más condições de saneamento e esgoto. Como a Fazendinha, zona norte da cidade, fotografada e retratada em crônica pela RBA nesta série. Lugares onde o cidadão chora e o prefeito não vê. Prefeito, aliás, que poderia ter seguido o que estava previsto no Plano Diretor e adquirido uma série de áreas para a construção de parques, escolas, postos de saúde e, sim, moradias. Mas, como mostrará nossa série, em apenas alguns casos a dupla Serra-Kassab se valeu do chamado “direito de preempção”, e a finalidade não foi exatamente o interesse geral da população.
Enfim, histórias não faltarão para o leitor disposto a se enfronhar no debate sobre o planejamento urbano a partir dos (maus) exemplos de São Paulo. Nas primeiras duas reportagens da série, publicadas hoje (10), mostramos como o Plano Diretor é fundamental para o cumprimento das necessidades dos cidadãos, e como as muitas vontades envolvidas na discussão travaram a renovação do compromisso entre sociedade e poder público.
Do Portal Brasil Atual

João Pessoa: Luciano Cartaxo discutirá transição


Luciano Cartaxo é eleito prefeito de João Pessoa‘Transição pacífica’, é isso que promete o prefeito eleito de João Pessoa Luciano Cartaxo, em relação à reforma administrativa que deve realizar assim que assumir a administração municipal em 2013.
Em conversa com a editoria do Portal Correio, Luciano Cartaxo revelou que estará viajando com a família ainda nesta semana e garantiu, que assim que retornar do descanso, vai se reunir com a cúpula da sua campanha. A viagem deve durar três dias.
“Ainda não definimos a equipe de transição e nem quem vai ser mantido no cargo, depois do descanso, vamos nos reunir com o grupo de lideranças”.
O encontro contará com a participação do vice-prefeito eleito Nonato Bandeira, do presidente estadual do Partido dos Trabalhadores Rodrigo Soares, do prefeito Luciano Agra, do deputado estadual e coordenador da campanha Anísio Maia e ainda do presidente municipal do PT, Antônio Barbosa. Fonte Portal Correio.

Festa de prefeito eleito de Solânea-PB termina com pessoas pisoteadas e feridas a bala

SolâneaA festa de comemoração da vitória do candidato Beto do Brasil (PPS), no município de Solânea (localizada no Brejo paraibano a 138 km de João Pessoa), terminou com duas pessoas baleadas e seis pisoteadas. O caso ocorreu na noite deste domingo (28), no Centro da cidade.

De acordo com capitão Leonardo Neves, comandante da Companhia da Polícia Militar da Cidade, estava ocorrendo o evento quando dois homens iniciaram uma discussão no meio da multidão e, em seguida, ouviu-se tiros.

“Foi um corre-corre. Houve muito tumulto após os disparos no meio da festa. Várias pessoas ficaram feridas porque durante a correria os participantes do evento caíram no chão e foram pisoteados. Cerca de oito pessoas ficaram feridas, duas delas a bala”, comentou o capitão.

Ainda segundo o policial, as duas pessoas baleadas foram socorridas para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande por ambulâncias do Samu. As vítimas feridas à bala são: Danilo de Sousa Vieira (baleado no braço), Jailson Maciel dos Santos, 32 anos, ferido no peito.

De acordo com o boletim médico do hospital, o caso mais grave é Jailson Maciel. As outras pessoas feridas não correm risco de morte.

“Já temos pistas do acusado pelos disparos. Estamos rastreando e o mais breve possível vamos prendê-lo”, adiantou o capitão Leonardo Neves.

Beto do Brasil é ex-prefeito de Solânea e conseguiu se reeleger nas eleições deste ano conquistando 58,24 % dos votos válidos correspondente a 8.523 votos válidos.
Fonte Portal Correio

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

4 frutas que eliminam gordura


Pera 
Ela tem seu mérito e não só a popular maçã - na hora de enxugar os quilos extras. Pesquisa do Instituto de Medicina Social da Universidade do Rio Janeiro -- e publicada no o Journal of Nutrition, uma das mais respeitadas revistas americanas sobre nutrição -- mostrou que as mulheres que comeram três peras por dia durante 12 semanas consumiram menos calorias e perderam mais peso do que as que não ingeriram nenhuma fruta. O estudo foi feito com 411 voluntárias entre 30 e 50 anos. A pera tem a grande vantagem de ser bem fibrosa. Concentra, em média, 3 gramas de fibras totais por 100 gramas - quase o dobro da maçã, que fornece 1,6 grama, afirma a nutricionista Tânia Rodrigues, diretora da RGNutri Consultoria Nutricional, de São Paulo. Além disso, o consumo de uma unidade representa 12% da necessidade diária de fibras, que é de aproximadamente 25 gramas por dia. Ela também é grande fonte de fibras insolúveis, que estão relacionadas à prevenção de prisão de ventre e de doenças como diverticulite e câncer de cólon, completa Tânia.

Grapefruit e suas irmãs 
Quer uma razão para reverenciar essa fruta? Ingerir metade de uma grapefruit ou tomar seu suco antes de cada refeição pode ajudar na perda de até meio quilo por semana, mesmo que você não mude absolutamente nada na sua dieta. Foi essa a conclusão a que chegaram os pesquisadores da Scripps Clinic, na Califórnia, uma rede de serviços de saúde sem fins lucrativos e que investe pesado em estudos. Eles acompanharam 100 obesos por 12 semanas. Passado esse período, descobriram que componentes da fruta ajudam a regular a produção de insulina, um hormônio que está intimamente ligado ao estoque de gordura. Níveis baixos de insulina também contribuem para afastar o apetite por mais tempo quando os índices estão elevados, o hormônio estimula o hipotálamo, região do cérebro que, entre outras funções, regula a fome. Se anda difícil encontrar grapefruit na sua cidade, aposte em duas outras variedades: a laranja-pêra e a laranja-bahia. A sugestão é de Vanderlí Marchiori, nutricionista e fitoterapeuta, de São Paulo. Elas contêm os mesmos compostos e atuam da mesma forma no emagrecimento, garante.

Banana verde 
Verdade. Nesse estágio, ela faz a balança se render graças a um amido resistente que ainda marca presença no macarrão integral, no feijão branco, na lentilha, na cevada e no pão com grãos integrais, que têm alto poder de saciedade. Esse efeito ficou mais do que comprovado em uma pesquisa americana realizada pela Universidade do Estado de Louisiana e publicada no Journal of Obesity. De acordo com o estudo, esse amido estimula hormônios que fazem o organismo se sentir satisfeito e sinalizam que é hora de parar de comer. O amido resistente também promove um aumento do peristaltismo intestinal, que pode diminuir a absorção de nutrientes e, consequentemente, de calorias, afirma a nutricionista Luci Uzelin, coordenadora de nutrição do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Outro dado: um pequeno estudo da Universidade do Colorado revelou que a queima de gordura foi 23% maior entre os pacientes que incluíram alimentos ricos nesse amido. Dá para comer banana verde? Sim. Você encontra receitas ótimas na internet ou no livro Yes, nós temos Bananas (editora Senac), de Heloísa de Freitas Valle, uma das pioneiras no uso da fruta verde como ingrediente principal de vários pratos.

Amêndoas 
Esta também é de cair o queixo: um farto punhado de amêndoas, cheia de gorduras -- benéficas, diga-se -- é capaz de reduzir o peso. E não só ele: a barriga também! Isso é o que mostra um estudo realizado no City of Hope National Medical Center in Duarte, Califórnia, nos Estados Unidos, e publicado no International Journal of Obesity. Em seis meses, os pacientes que adotaram diariamente 84 gramas da fruta oleaginosa (cerca de 70 unidades!) reduziram 18% do peso e 14% da medida na cintura. O colesterol ruim (LDL) também diminuiu 15% e os triglicérides, 29%. O grupo que se deliciou com as amêndoas perdeu também 56% a mais de gordura corporal em comparação com a turma que ingeriu o mesmo número de calorias na forma de carboidratos complexos, que estão nos cereais integrais, no arroz, nos pães, nas massas e nas batatas. Além das fibras, que afastam a fome por mais tempo, a amêndoa contém ômega-3, gordura do bem que ajuda a estimular os hormônios da saciedade, afirma a médica ortomolecular Heloísa Rocha, do Rio de Janeiro. Também é riquíssima em vitamina E, que regula os hormônios sexuais tanto no homem como na mulher. Nele, a amêndoa  facilita a formação de massa magra. E, quanto mais massa magra, maior a queima de gordura. Nela, o mesmíssimo amido resistente evita o estoque das células gordurosas. Ou seja, o peso despenca.
WSCOM

Veja quem venceu no segundo turno das eleições 2012


No segundo turno, o PSDB foi o partido que mais elegeu prefeitos: nove ao total. Os tucanos venceram em Pelotas (RS), Blumenau (SC), Franca (SP), Sorocaba (SP), Taubaté (SP), Belém (PA), Teresina (PI), Manaus (AM) e Campina Grande (PB).
Eleitores voltaram às urnas em 50 cidades do país para elegerem seus prefeitos. Todos os eleitos foram confirmados antes das 21h – menos de quatro horas após o fim da votação.
O PT foi o segundo partido que mais elegeu prefeitos neste segundo turno, oito ao total: São Paulo (SP), Niterói (RJ), Guarulhos (PT), Mauá (SP), Santo André (SP), João Pessoa (PB), Vitória da Conquista (BA) e Rio Branco (AC).
PMDB e PSB levaram cada um sete prefeituras no segundo turno.  Os outros partidos elegeram entre um e três prefeitos neste segundo turno. Confira os resultados no quadro abaixo:
PartidoPrefeituras em que venceu no 2° turno
PSDBPelotas (RS), Blumenau (SC), Franca (SP), Sorocaba (SP), Taubaté (SP), Belém (PA), Teresina (PI), Manaus (AM) e Campina Grande (PB)
PTSão Paulo (SP), Niterói (RJ), Guarulhos (PT), Mauá (SP), Santo André (SP), João Pessoa (PB), Vitória da Conquista (BA),  Rio Branco (AC)
PMDBJuiz de Fora (MG), Uberaba (MG), Nova Iguaçu (RJ), Volta Redonda (RJ), Joinville (SC), Guarujá (SP)
PSBDuque de Caxias (RJ), Petrópolis (RJ), Campinas (SP), Fortaleza (CE), Cuiabá (MT), Porto Velho (RO)
PCdoBBelford Roxo (RJ), Contagem (MG), Jundiaí (SP)
PDTCascavel (PR), Natal (RN), Curitiba (PR)
PPSVitória (ES), Cariacica (RJ), Ponta Grossa (PR)
PSDRibeirão Preto (SP), Florianópolis (SC), Londrina (PR)
DEMSalvador (BA), Vila Velha (ES)
PPMaringá (SP), Campo Grande (MS)
PRSão Gonçalo (RJ)
PRBMontes Claros (MG)
PSOLMacapá (AP)
PTCSão Luis (MA)
PVDiadema (SP)

Rede brasil Atual

Haddad vai de 3% à vitória, a exemplo de Dilma


O ex-ministro da Educação Fernando Haddad, que ocupou a pasta entre julho de 2005 e janeiro de 2012, nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, é filiado ao PT desde 1983 e esta é a primeira eleição de sua vida pública. Antes desta campanha, as únicas experiências em urnas foram na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, na capital, quando cursava o terceiro ano e foi eleito vice-presidente do Centro Acadêmico 11 de Agosto em uma chapa encabeçada pelo jornalista Eugenio Bucci. No ano seguinte foi o presidente. Indicado por Lula para disputar a prefeitura paulistana, Haddad apareceu com apenas 3% das intenções de voto na primeira pesquisa, divulgada em maio pelo Ibope.
Para comparação, o adversário a ser batido então despontava com quase 40% das sondagens. Aos 70 anos, José Serra (PSDB) já havia disputado nove eleições, tendo vencido duas para deputado, uma para senador, uma para governador e uma para prefeito; e perdido duas à Presidência da República e outras duas à prefeitura – agora três, sendo que na reta final comportou-se mais como franco-atirador, interessado em preservar, para os que vierem depois dele, o que há de rejeição ao PT. Haddad estava ainda atrás de Paulinho da Força (PDT), Gabriel Chalita (PMDB), Soninha Francine (PPS), Netinho de Paula (PCdoB) e Celso Russomano (PRB).
Nestes cinco meses o intelectual com sólida carreira acadêmica, e tido como gestor eficiente à frente do Ministério da Educação, foi perdendo o acanhamento e a falta de traquejo em campanha eleitoral e no corpo a corpo com os eleitores, ganhando pontos nas pesquisas, pedidos de autógrafo e também de fotografias junto a moradores durante comícios e caminhadas. O Haddad que teve seu nome exposto nas urnas eletrônicas do maior colégio eleitoral do país, neste domingo é, pelo menos um pouco, diferente daquele dos 3% que mal tinha companhia de militantes nas andanças pela cidade e era bastante desconhecido dos eleitores, principalmente da periferia.
Paulistano, nasceu no dia do aniversário da cidade, 25 de janeiro, em 1963, e cresceu no bairro Planalto Paulista. Aos 18 anos entrou para a Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da Universidade de São Paulo (USP). Também na USP, fez mestrado em Economia e doutorado em Filosofia. Filho de Khalil Haddad, libanês que deixou seu país com 22 anos de idade e imigrou para São Paulo em 1947, e de Norma Thereza Goussain Haddad, filha de libaneses, Fernando é o único homem entre as irmãs Priscila e Lúcia, uma mais velha e outra mais nova do que ele.
O pai era camponês no Líbano e estudou até os oito anos. Quando veio para São Paulo foi trabalhar como atacadista de tecidos na rua 25 de Março e depois de 11 anos no Brasil casou-se com Thereza. A mãe formou-se no curso de Magistério no Liceu Pasteur, onde aprendeu francês. Ela se casou com 20 anos e foi ser dona de casa. Encheu as estantes com as principais enciclopédias do mercado na época e fez de tudo para garantir boa educação aos filhos.
Haddad fez o ensino básico no Ateneu Ricardo Nunes e o secundário no Colégio Bandeirantes e sonhava em ser engenheiro. Mas acabou trocando os cálculos pelos códigos de leis quando seu pai perdeu a casa ao se ver envolvido por um golpe de um estelionatário. A difícil situação da família fez Haddad  prometer a si mesmo que não queria passar por uma situação similar. “O caminho para isso dava no Largo de São Francisco, onde se encontra a velha Academia de Direito. E para lá eu fui.” Em 1988, depois de formado e aos 25 anos casou-se com a dentista Ana Estela Haddad. Quatro anos depois o casal teve o primeiro filho, Frederico. Em 2000 nasceu Ana Carolina.
Atuou em incorporação e construção civil, foi analista de investimento, professor no Departamento de Ciência Política na USP, consultor na Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Nesse ínterim, em 1997, a família se desfez do negócio mantido na Rua 25 de Março, por conta de problemas de saúde do pai.
Em 2001, convidado por João Sayad, então secretário de Finanças na Prefeitura de São Paulo na administração de Marta Suplicy, Haddad, assume a chefia de gabinete da Secretaria. Trabalhou na estratégia de escalonamento dos débitos junto aos credores e ajudou a organizar as finanças municipais, o que permitiria a retomada da capacidade de investimento depois de dois anos de mandato. Em 2003, deixou a prefeitura para se tornar assessor especial no Ministério do Planejamento, sob o comando do então ministro Guido Mantega, atual ministro da Fazenda.
Em 2004 assumiu o posto de secretário-executivo no Ministério da Educação – função logo abaixo da do ministro na hierarquia do órgão, então comandado por Tarso Genro, atual governador do Rio Grande do Sul. Na verdade, ministro responde pelo comando político na estrutura de um ministério; e secretário-executivo responde pela gestão operacional. Haddad estava para Genro como Dilma, chefe da Casa Civil, estava para o então presidente Lula.
Com a ida de Tarso Genro para o Ministério da Justiça, em 2005, Haddad assumiu o comando da Educação.
Ali criou o Programa Universidade Para Todos (Prouni), que atendeu a mais de 1 milhão de estudantes desde que foi implementado, em 2005, até o segundo semestre de 2012, e a maioria (67%) com bolsa de estudo integral. No período em que Haddad esteve no ministério, as vagas no ensino superior público federal passaram de 139,9 mil em para 218,2 mil, foram criados 126 campus universitários federais, 214 escolas técnicas e 587 polos de educação à distância. O número de formandos cresceu 195% nos últimos dez anos. Haddad foi um dos poucos ministros da era Lula mantido pela presidenta Dilma, eleita em 2010. Só deixou o posto no início deste ano para participar da disputa pela sucessão paulistana.
redebrasilatual e Focando a Notícia

Para analista, resultados eleitorais consolidam projeto 'Dilma 2014'


 O resultado das eleições municipais, ao contrário do que se dizia, fortalece o projeto "Dilma 2014", avalia o analista político Antônio Augusto de Queiroz, diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). “Não resta dúvida de que os partidos da base foram vitoriosos”, afirmou. De 50 cidades com segundo turno, ele estima que 75% elegeram candidatos ligados à base aliada do governo. Queiroz acredita que a sensação de “bem-estar” da população, sustentada por crescimento do emprego e da renda, além de políticas públicas, prevaleceu sobre as denúncias contidas no julgamento do chamado mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF).
“É claro que se não houvesse a denúncia do mensalão o PT teria crescido muito mais. Mas entre uma acusação ético-moral e uma sensação de bem-estar, o eleitor prefere racionalmente optar pela segunda tese. Até porque quem está acusando o PT pratica algo muito parecido”, afirma o analista do Diap.
Nesse sentido, ele considera o PT vitorioso política e eleitoralmente. “Politicamente porque enfrentou uma campanha dos meios de comunicação com o objetivo de carimbar o partido como corrupto. É uma vitória indiscutível. Voltou à condição de partido mais votado na eleição municipal. Mesmo perdendo em Belo Horizonte, criou uma alternativa importante para o governo de Minas. A meu ver, cometeu seu principal erro em Recife, onde tinha a eleição garantida, mas que dependia de aliança (com o PSB). O mesmo ocorreu em certa medida em Fortaleza, onde disputou razoavelmente bem.” Queiroz atribui a derrota em Salvador muito mais a uma avaliação negativa do governo estadual, petista, do que a uma reedição do “carlismo”.
“A oposição decresceu em número de votos e prefeituras. E a base do governo aumentou”, prossegue o analista. “O núcleo estratégico do governo federal cresceu em número de votos”, acrescentou, citando PT, PSB, PCdoB e PDT. “Até o Psol, que faz uma oposição à esquerda, cresceu. Todos os demais – de oposição ou de uma situação mais conservadora – regrediram.” Ele considera o PSD a surpresa desta eleição, embora com muita concentração no Sul.
Segundo o diretor do Diap, alguns indicadores sociais podem ter sido determinantes nesta eleição, como o crescimento do emprego, “que não se justifica frente ao crescimento do PIB” e o aumento da renda. “Mas o governo tem outras políticas de inclusão social que fazem com que haja uma situação de bem-estar. Os acordos salariais tiveram ganhos reais. E houve ganhos com a redução dos juros.”
Ele considera que o setor “mais atrasado” adotou um discurso na tentativa de desqualificar o PT e tirá-lo da disputa, já pensando em 2014. O PSB, “ainda em fase de consolidação”, deve permanecer como aliado do PT na eleição presidencial. Para o PMDB, partido que diminuiu o número do prefeituras, mas continua como o de maior capilaridade, a alternativa mais viável seria também continuar com o governo, em vez de se arriscar em uma aliança com o PSDB. Quanto a Serra, o analista acredita que ele poderia no máximo almejar uma vaga no Senado. A candidatura ao Planalto “vai muito provavelmente cair no colo do Aécio (Neves), que não vai ter facilidade se o governo continuar bem avaliado”.
Rede Brasil Atual

PSB ganha a disputa em Fortaleza; PT acusa compra de votos e vai à Justiça


PSB ganha a disputa em Fortaleza; PT acusa compra de votos e vai à Justiça Chega ao fim a intenção do PT de ter mais quatro anos à frente da prefeitura de Fortaleza. Roberto Claudio, do PSB, venceu o adversário Elmano de Freitas por 53,02% a 46,98% dos votos válidos (650.607 a 576.435). Aliados desde 2006 no governo estadual e na administração da capital, PT e PSB protagonizaram uma das mais apertadas disputas do país no segundo turno, marcada pela ruptura e entre as siglas no âmbito municipal neste ano.
A tensão hoje (28) e uma série de denúncias de irregularidades podem levar à Justiça o questionamento do resultado. Foram registradas várias ocorrências de confronto entre militantes e fiscais eleitorais de ambos os partidos. 
Em meio às denúncias, a prefeita Luizianne Lins (PT) afirmou que houve compra "descarada” de voto. “Vimos pessoas usando blusas padronizadas, o que não pode, realização de carreta, o que não pode, soltar fogos de artifício. Nunca vimos um acinte à Justiça eleitoral como vimos até agora e nenhuma providência está sendo tomada” elencou a prefeita. 
O coordenador da campanha da PT, deputado estadual Antonio Carlos, afirmou que houve “grande estrutura de compra de votos, policiais militares para coagir eleitores, o que coloca em xeque o processo. Nós vamos amanhã, em tempo hábil, tomar as medidas cabíveis”. Para Antonio Carlos, houve “utilização de meios absurdos para compra de votos”. Ele assegura que há provas materiais e imagens que comprovariam as denúncias. 
O governador Cid Gomes e o candidato Roberto Claudio chegaram a comparecer pessoalmente na Superintendência da Policia Federal para “prestar solidariedade” a 50 militantes do PSB detidos sob suspeita de boca de urna. Ao final da votação, o Trigunal Regional Eleitoral (TRE) registrou 64 denúncias por crimes eleitorais, de ambos os lados, variando do transporte ilegal de eleitores a compra de votos, sendo 44 denúncias de boca de urna. 
A reta final foi marcada pela disputa acirrada tanto nas ruas quanto nas pesquisas. Somente hoje a boca de urna do Ibope dilatou a diferença, apontando 53% para Roberto Claudio e 47% para Elmano, praticamente o que se confirmou no resultado final. No sábado, o Datafolha demonstrou empate rigoroso (42% das intenções de voto para cada um), e, no Ibope, Roberto Cláudio apareceu à frente, com 44%, e Elmano, 42%. Apesar da vantagem, estariam empatados dentro da margem de erro de 3%.
Na última semana da campanha, Lula compareceu pessoalmente em comício na terça (23), fortalecendo o PT, e o governador Cid Gomes se licenciou do cargo por cinco dias para dedicar-se integralmente à campanha do PSB. 
Também marcante foi o embate direto entre a prefeita Luizianne Lins e o governador. Aliados desde 2006, quando da primeira eleição de Cid Gomes, ambos romperam a aliança neste ano. O governador chegou a fazer piada de mau gosto com a tendência interna do PT a qual Luizianne pertence, a Democracia Socialista (DS, que, na piada do governador virou “DST”), e declarou não querer mais qualquer relação pessoal com a prefeita. A piada rendeu um pedido público de desculpa.
Luizianne, por sua vez, reforçou as críticas aos irmãos Ferreira Gomes (Cid e Ciro), acusando-os de machismo e de quererem impor uma oligarquia familiar no comando do estado e da capital. No ato da votação de hoje, ao lado de Elmano, ela afirmou que estava arrependida de “ter apoiado Cid em 2010”, na reeleição do governador. 
No sábado, um dia depois de encerrada a propaganda eleitoral, Luizianne obteve direito de resposta e apareceu em várias inserções, pois tinha sido exibida na TV pelo programa eleitoral adversário uma declaração dela, de 2010, na qual afirmava que se preparava para “eleger até um poste com a luz quebrada”. 
Resta saber como será, até o final do ano, a relação institucional entre Luizianne e Cid. Ela tem mais de dois meses à frente da prefeitura, e preside o PT cearense que integra o governo do estado, enquanto o governador é o presidente estadual do PSB. Luizianne terá, antes de tudo, de reconciliar o PT cearense, já que ela bancou a candidatura de Elmano, integrante da DS, quando havia outros três pré-candidatos antes da escolha oficial. E a ala do PT aliada ao governador é capitaneada pelo deputado federal José Guimarães, que embora tenha aderido à campanha de Elmano, não pressionou os petistas que integram o governo do estado. 
Sobre a aliança no âmbito federal, Cid Gomes afirmou que "num longo prazo, num médio prazo, o objetivo do PSB é disputar a Presidência da República. O PT disputou cinco vezes até ganhar a Presidência. Agora, nesse momento, nos participamos do governo da Dilma. Então eu não enxergo, sinceramente, num curto prazo, o PSB disputando a Presidência em 2014".
Rede Brasil Atual

domingo, 28 de outubro de 2012

Cinquenta cidades decidem hoje quem será o prefeito nos próximos quatro anos


Brasileiros de 50 cidades decidirão hoje (28), em segundo turno, quem será o responsável pela gestão municipal nos próximos quatro anos. Ao todo, devem comparecer novamente para votar 31,7 mil pessoas, entre eles eleitores de 17 capitais.
Por ser o maior colégio eleitoral entre as capitais, com 8,6 milhões de votantes, São Paulo sempre recebe uma atenção especial por parte dos partidos políticos.  Neste domingo, o paulistano definirá se quer ser administrado por Fernando Haddad (PT) ou José Serra (PSDB).
Além de ter o maior eleitorado entre os 5.568 municípios, o estado de São Paulo tem 12 cidades disputando as eleições em segundo turno. O Rio de Janeiro está em segundo lugar, com sete cidades na disputa, e o Paraná vai ter cinco municípios onde candidatos se enfrentarão.
Para viabilizar a disputa neste segundo turno nas 50 cidades, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) colocará a disposição 96,1 mil urnas eletrônicas. Algumas delas ficarão de reserva para substituição no caso de eventual problema de funcionamento.
O eleitor das cidades que terão segundo turno deverá comparecer à sua seção de votação entre as 8h e as 17h. Para votar, a pessoa terá que apresentar ao mesário um documento com fotografia.
O PT e o PSDB são os partidos que mais disputam a cadeira de prefeito nas capitais. Além de São Paulo, os dois partidos têm mais cinco e sete candidatos, respectivamente, concorrendo em capitais.
O PMDB, que saiu das urnas no primeiro turno como a legenda com maior número de prefeitos eleitos em todo o país, disputa o segundo turno em três capitais – Campo Grande, Natal e Florianópolis. No primeiro turno, os peemedebistas saíram das urnas como a maior legenda nas regiões Sul, Centro-Oeste, Norte e Nordeste.
Correio do Brasil